Venda de automóveis cresce 3,16% em janeiro, mas setor recua 5,20%

Os dados foram divulgados hoje (4) em São Paulo pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave)

NOTA: Antaq: País deverá ter de cinco a 10 novos portos
Safra de grãos 2009/2010 pode ser até 4,8% maior do que a anterior, estima Conab
Pague Menos ganha musculatura para abrir capital

O comércio de automóveis e veículos leves novos cresceu 3,16% no mês de janeiro comparado a dezembro. Os dados foram divulgados hoje (4) em São Paulo pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Apesar do número positivo, o setor fechou o mês negativo em 5,20% com a queda nas vendas de motos (13,47%), caminhões (24,45%) e ônibus (35,33%).

“Isso nos preocupa porque mostra o tamanho da crise: os consumidores de baixa renda, que compram motos, estão com dificuldades e os investidores, que compram caminhões e ônibus, não estão levando nada”, afirmou Sérgio Reze, presidente da entidade.

No total, foram vendidos em janeiro 189.729 automóveis e veículos leves, 7,63% a menos se comparado ao mesmo mês de 2008.

Segundo Reze, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) foi uma das contribuições do governo para o setor.

“Janeiro poderia não ter sido um mês tão bom”, comentou. Para o presidente, o problema das vendas não é mais a falta de crédito e sim de vontade. “As pessoas estão receosas em comprar”, disse.

Para Reze, a economia brasileira está em boas condições se comparada com as demais. “Nossos bancos não têm passado por dificuldades”.

Entretanto, o presidente da Fenabrave não quis fazer projeções para 2009. “O dólar está voltando à normalidade, mas a economia ainda passa por um processo de expectativas”, comentou.

Link para a matéria

COMMENTS