Indústria de carga aérea recua 4,8% em 2008

Entre 2004 a 2007 o setor avançou 12% e, no total dos últimos 20 anos, o crescimento foi de 7%

Brasil ganha destaque em máquinas pesadas
STF suspende medida provisória, mas decisão não deve ter efeito prático imediato
Tráfego de caminhões é preocupante

A indústria mundial de transportes de carga aérea recuou 4,8% no acumulado de 2008, ante 2007, informou hoje o analista de carga aérea para a América Latina da Boeing (maior fabricante de aviões para tráfego de cargas), Kai Heinicke. Segundo Heinicke, no ano anterior houve crescimento de 5% no desempenho do segmento.

Entre 2004 a 2007 o setor avançou 12% e, no total dos últimos 20 anos, o crescimento foi de 7%. O analista destacou que 90% da capacidade cargueira mundial é constituida por aviões Boeing.

Segundo ele, o desempenho do segmento começou a apresentar queda em maio de 2008. O recuo foi puxado pela elevação no preço do petróleo. “O custo do transporte reflete diretamente o preço do combustível. E esse custo aumentou significativamente, várias vezes consecutivas. Essa variação é repassada de imediato para o cliente”, disse, lembrando que o preço do serviço de transporte aéreo é, normalmente, dez vezes mais caro do que o transporte de navio.

A tendência de queda do setor, entretanto, se confirmou com o desaquecimento da economia mundial, segundo Heinicke. “O desempenho desse segmento costuma sempre acompanhar o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, porém, em dupla intensidade”, explicou.

Link para a matéria

COMMENTS