Governo federal anuncia mais R$ 600 milhões para investimentos no Aeroporto Tom Jobim

Os recursos serão aplicados na modernização das áreas de embarque e desembarque e nas pistas do terminal da Ilha do Governador

Novas regras da Receita Federal vão dificultar utilização de créditos tributários pelas empresas
Cadeia de suprimentos enfrenta desafios
Galeão, em obras, se prepara para receber passageiros na alta estação

O Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, vai receber investimentos de R$ 600 milhões até 2011. Os recursos serão aplicados na modernização das áreas de embarque e desembarque e nas pistas do terminal da Ilha do Governador. O anúncio foi feito hoje (6) pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, depois de almoçar com o governador Sergio Cabral.

Segundo o ministro, os investimentos serão feitos independentemente de sua concessão para a iniciativa privada, cujo modelo deve ser definido até o meio do ano pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“Não podemos ficar na dependência de que, lá adiante, não tenha alguém que queira disputar [a concessão]. Vamos prosseguir com as duas ações juntas”, disse Jobim.

O ministro conversou também sobre a abertura do Aeroporto Santos Dumont, no centro da cidade, que funciona apenas com vôos da ponte aérea Rio-São Paulo e outros destinos domésticos. Ele disse que o governo federal, apesar de ter posição contrária a do governo estadual, que não quer a a abertura do terminal, vai continuar dialogando com o governo estadual, contrário à abertura. “Temos que encontrar uma saída”, afirmou.

O secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, que participou da reunião, disse que o anúncio de investimentos sinaliza uma preocupação do governo federal com o Aeroporto Tom Jobim.

Ele explicou que o governo do estado não é totalmente contrário à abertura do Santos Dumont para mais vôos, mas entende que isso tem que ser feito de forma ordenada, para que não prejudique o funcionamento do Tom Jobim.

“Ninguém quer o[Aeroporto] Santos Dumont fechado ou funcionando apenas do modo como está. O que o governador e todos nós cidadãos queremos é o crescimento dos dois aeroportos. Nós queremos é fazer isso de uma maneira bastante ordenada e no tempo certo, para que a gente não atrapalhe o crescimento que o Galeão vem tendo”, afirmou.

Link para a matéria

COMMENTS