Embraer demite 4.273, mas mantém investimento

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, onde fica a sede da Embraer, ingressará com um pedido de esclarecimentos via Ministério Público por não ter sido informado com antecedência sobre a demissão em massa, que atingiu 4.273 empregados

Transportadores vão à Justiça contra rodízio para caminhão
Licitação de portos deverá ser por outorga
Exploração do pré-sal inicia nova era da história do petróleo brasileiro, diz Lula

A demissão de 20% dos funcionários da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), anunciada ontem, abalou o polo aeronáutico nacional, que ainda carece de informações sobre as próximas medidas a serem adotadas pela companhia em seu realinhamento no mercado internacional. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, onde fica a sede da Embraer, ingressará com um pedido de esclarecimentos via Ministério Público por não ter sido informado com antecedência sobre a demissão em massa, que atingiu 4.273 empregados.

O prefeito da cidade, Eduardo Cury, se encontra hoje com a direção da Embraer e já determinou que as secretarias de seu governo terão que economizar 10% sem prejudicar serviços à população. Isso fará parte de um plano estratégico para atender os recém-despedidos. Apesar de demitir apenas no Brasil, a Embraer manterá seus investimentos externos programados para os Estados Unidos, a China e Portugal.

A direção do sindicato aguarda para as próximas horas um pronunciamento do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e da direção do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que financiou uma parte significativa das exportações da companhia nos últimos anos. Em 2007, a Embraer contratou 4.469 profissionais e consultorias especializadas chegaram a apontar um excedente de 2 mil funcionários no ano passado.

O impacto das dispensas também teve reflexo nos papéis da empresa. A ação da Embraer negociada na Bovespa encerrou o dia de ontem em queda de 2,44%, cotada a R$ 8,41. Na Bolsa de Nova York, o papel caiu 2,51%, para US$ 14,40. A Embraer também anunciou que reviu suas estimativas para este ano, prevendo entregar 242 aeronaves, com receita prevista de US$ 5,5 bilhões. Os investimentos foram revistos para US$ 350 milhões em 2009.

Em janeiro, foram eliminados 101.748 empregos formais no País, no pior resultado apurado para o mês em toda série história do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

Link para a matéria

COMMENTS