Portos de Paranaguá e Antonina vão receber novas obras de infra-estrutura

De acordo com o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Daniel Lúcio Oliveira de Souza, os projetos que serão levados ao conhecimento do governador são os mais importantes que estão em execução na Autarquia

Técnicos discutem segurança no transporte de produtos químicos
GOL reforçará atendimento para o réveillon em horários de pico nos principais aeroportos a pedido da ANAC
ViaQuatro consegue financiamento do BID

As diretorias Técnica, Empresarial, Administrativa-Financeira e do Porto de Antonina da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) apresentarão, no início de fevereiro, ao governador Roberto Requião os projetos de investimentos que estão sendo preparados para acontecer nos terminais paranaenses em 2009 e 2010.

De acordo com o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Daniel Lúcio Oliveira de Souza, os projetos que serão levados ao conhecimento do governador são os mais importantes que estão em execução na Autarquia. “Estes projetos manterão os Portos do Paraná na liderança nacional quando se fala em melhor infra-estrutura pública portuária”, disse. Para formatar a apresentação, os diretores da Appa têm feito reuniões de trabalho semanais com o superintendente.

Entre as obras que serão mostradas pela Diretoria Técnica, duas estão em fase final e devem estar concluídas até o final de janeiro: a construção do terminal de fertilizantes e construção do pátio público de veículos da Appa. Juntas as obras somam cerca de R$ 15 milhões em investimentos pagos com recursos do Porto de Paranaguá.

O terminal público de fertilizantes é provido por esteiras transportadoras ligando um silo pulmão à faixa portuária. As esteiras, com capacidade de movimentar mil toneladas por hora, vão retirar o produto direto do interior dos porões dos navios e depositá-lo no silo pulmão, com capacidade de 32 mil toneladas.

Com a nova estrutura, pretende-se agilizar e modernizar a movimentação de fertilizantes em Paranaguá, que hoje é o maior importador do produto no Brasil. Em 2008, foram movimentados em Paranaguá 5,9 milhões de toneladas de fertilizantes. O volume foi 25% menor do que o registrado em 2007. Mas a queda foi causada pela crise financeira internacional que derrubou o preço do produto no mercado externo.

Também está na fase final a construção no novo pátio de fluxo de veículos. Localizado em frente à sede da autarquia num terreno de 30 mil metros quadrados, o espaço se somará aos quatro pátios já existentes no Porto de Paranaguá, totalizando 11 mil vagas para movimentação de veículos no Porto. Em 2008, foram movimentados por Paranaguá 162,4 mil veículos, sendo que o destaque ficou por conta das importações, que atingiram alta de 35%.

Além disso, a diretoria técnica da Appa dá continuidade ao projeto do corredor de congelados. As obras do novo terminal frigorificado foram iniciadas e um dos armazéns da faixa portuária está sendo demolido para dar lugar à estrutura moderna que será construída no cais comercial do Porto. De acordo com o diretor técnico da Appa, André Cansian, o complexo terá capacidade estática para 12 mil toneladas e atenderá principalmente a produção paranaense de aves, que é líder nacional no segmento. Serão investidos cerca de R$ 18 milhões, também pagos com recursos da Appa.

Antonina – De acordo com Paulo Rocha, diretor do Porto de Antonina, as obras de revitalização do trapiche da cidade já foram iniciadas. O projeto, feito pela Appa em parceria com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedu), pretende transformar o antigo trapiche num receptivo para turistas e, desta maneira, fomentar o turismo na região. “Também estamos dando continuidade ao projeto de reforma da sede do porto Barão de Teffé e o edital para o início das obras deve ser lançado até o final deste mês”, disse.

OEA – O lançamento do projeto “Porto Fácil” em 2009 é um dos principais projetos da Diretoria Empresarial da Appa. De acordo com o diretor Luiz Alberto César, trata-se de um programa de exportação ou importação de produtos com volume menores a um custo mais baixo do que o praticado pelo transporte aéreo. “Os produtos serão acondicionados em caixas modulares que juntas formam blocos que podem ser armazenados em contêineres compartilhados no mesmo navio, com o mesmo destino”, explicou o diretor. O programa conta com a participação dos Correios.

Além disso, a diretoria empresarial da Appa está trabalhando na 2ª Conferência Hemisférica sobre Proteção Ambiental Portuária, que acontecerá em julho, na cidade de Foz do Iguaçu, pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

Controle – Na Diretoria Administrativo-Financeira da Appa está em fase de implantação o sistema de contas a pagar. De acordo com o diretor administrativo-financeiro da autarquia, Benedito Nicolau dos Santos, o novo sistema permitirá o controle das contas a vencer da Appa. “Hoje só temos o controle digital das contas já pagas. Com este novo sistema, saberemos com exatidão quanto dinheiro será usado para pagar as contas de cada mês. Assim, não precisaremos deixar parados em conta-corrente valores superiores ao necessário, ganhando em rendimento nas aplicações”, afirma.

Outro projeto da diretoria financeira que entra em funcionamento em 2009 é o sistema de faturamento. Com ele, as empresas que usam o porto podem emitir em seus escritórios as faturas de pagamento das taxas portuárias, diminuído a burocracia do sistema.

Link para a matéria

COMMENTS