Porto de Marabá tem recursos de R$ 30 milhões assegurados no DNIT

O anúncio foi feito pela governadora Ana Júlia Carepa, que recebeu na manhã desta segunda-feira 5, a confirmação do superintendente geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot, de que o repasse desse montante está assegurado

Crise afeta setor de transporte de cargas
Goodyear elimina 5 mil vagas
Volks e Porsche acertam fusão e marcas ficam independentes

O projeto da Plataforma Logística Intermodal de Transportes de Marabá, o porto de Marabá, vai receber um aporte de R$ 30 milhões para a implantação de sua primeira etapa, que deverá se iniciar ainda no primeiro semestre de 2009. O anúncio foi feito pela governadora Ana Júlia Carepa, que recebeu na manhã desta segunda-feira 5, a confirmação do superintendente geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot, de que o repasse desse montante está assegurado e será feito via convênio a ser firmado com o Estado, até o começo da semana que vem.

Os recursos foram alocados pela bancada federal do Pará dentro do Orçamento Geral da União (OGU) e integram o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC). Conforme destacou a governadora, eles serão de grande importância para viabilizar não só a siderúrgica de aço laminado da companhia Vale, como também de outros empreendimentos que serão instalados no Distrito Industrial de Marabá.

“A liberação desse recurso é um passo decisivo para complementarmos os investimentos em logística naquela região, que inclui a recuperação e revitalização do Distrito Industrial de Marabá, além da conexão com as eclusas de Tucuruí e com o novo píer do Porto de Vila do Conde, e dessa maneira vamos transformar minério de ferro em emprego, geração de renda e qualidade de vida”, enfatizou Ana Júlia.

Competitividade – Ao se empenhar pela liberação dos recursos para a construção do porto de Marabá, a governadora destacou que o transporte hidroviário vai tornar os produtos paraenses ainda mais competitivos, uma vez que as cargas escoadas por esse modal custam U$ 23 a menos, por tonelada, em relação ao transporte rodoviário. O Pará, acrescentou, quer aproveitar essa via de escoamento natural que possui que são seus inúmeros rios. O terminal se viabiliza com a conclusão das eclusas de Tucuruí, previstas para entrar em operação até agosto de 2010.

A primeira etapa do porto público de Marabá está estimada em R$ 76 milhões, valor já conveniado com o DNIT e prevê a implantação de uma infra-estrutura para entrada de insumos e escoamento de produtos. O terminal terá capacidade para receber cargas de granéis sólidos, minério e derivados e carga geral.

O porto será construído à margem esquerda do rio Tocantins, na altura do Km 14 da BR – 230, na área de influência do parque industrial e deverá ocupar uma área estimada de 370 mil m2, incluindo o pátio multimodal que será integrado pela rodovia e no futuro deverá constar de um ramal ferroviário.

Para fortalecer a indústria paraense, o Governo do Estado está investindo ainda R$ 35 milhões na recuperação, revitalização e construção de cinco Distritos Industriais – Marabá, Icoaraci, Ananindeua, Barcarena e Santarém.

As obras da Plataforma Logística Intermodal de Transporte de Marabá estão sob a responsabilidade executiva da Companhia de Portos de Hidrovias, empresa pública vinculada à Secretaria de Integração Regional (SEIR). (Por Ivonete Motta – Secom)

Link para a matéria

COMMENTS