Governo lança licitação para Suape no dia 15

Depois da dragagem, o Porto do Recife vai atingir uma profundidade de 11,5 metros, permitindo a atracação de navios de até 50 mil toneladas de porte bruto

Gollog inicia operações de carga no Uruguai
Apesar da crise, embarque de café sobe em outubro
Exposição marca 80 anos da Polícia Rodoviária Federal

A Secretaria Especial de Portos (SEP) espera lançar no dia 15 de fevereiro o processo de licitação para a dragagem do Porto de Suape, que está orçada em R$ 240 milhões. A expectativa é que na mesma data também seja iniciada a obra de dragagem do Porto do Recife. O anúncio foi feito, ontem, pelo ministro Pedro Brito, que recebeu homenagem de várias entidades que operam no Porto do Recife, durante evento na Associação Comercial de Pernambuco (ACP), pela inclusão do porto da capital pernambucana no Plano Nacional de Dragagem (PND).

“Na próxima sexta-feira vamos assinar, em Brasília, o contrato com a empresa responsável pela execução da obra no Porto do Recife (Serviços de Operações Marítimas – Somar). Para realizar a retirada dos sedimentos, a empresa vai trazer uma draga que está operando atualmente no Chile”, diz Pedro Brito. O ministro também acredita que em função do tamanho da draga, a obra pode ser concluída antes do prazo contratual de quatro meses. “Isso sem falar que no período de um mês, os exportadores de açúcar já poderão operar com mais agilidade, porque a área do terminal açucareiro já estará com uma profundidade de 9,5 metros”, adianta.

Depois da dragagem, o Porto do Recife vai atingir uma profundidade de 11,5 metros, permitindo a atracação de navios de até 50 mil toneladas de porte bruto, quando o máximo que o porto recebia era embarcações de 25 mil toneladas.

Pedro Brito diz que a previsão é concluir a dragagem do Porto de Suape até meados de 2010. Ele destaca que depois de dragado, o Complexo será o primeiro no ranking nacional de profundidade, com 20 metros. “Esse será mais um diferencial competitivo para o porto”, observa. Hoje, os portos de maior profundidade são Pecém (CE) e Itaqui (MA), cada um com 17 metros. O próprio Porto de Santos (maior do País) tem profundidade de 15 metros. Os recursos de R$ 240 milhões serão usados na dragagem, na derrocagem (retirada das pedras) e no reforço das pontas do molhe dos arrecifes naturais. Com a dragagem, o Porto de Suape estará apto a receber os petroleiros da Petrobras, que trarão o petróleo para ser processado na Refinaria Abreu e Lima.

O ministro afirma que até o dia 30 de março serão concluídos os editais de licitação dos 16 portos beneficiados pelo Plano Nacional de Dragagem, que tem orçamento de R$ 1,5 bilhão com recursos do Plano de Aceleração de Crescimento (PAC). Depois dos portos do Recife e Mucuripe (CE), os próximos da lista serão Santos (SP), Rio Grande (RS) e Natal (RN). Pedro Brito diz que a crise financeira internacional acabou, de alguma forma, beneficiando o Plano de Dragagem. “Como muitos projetos de dragagem na Ásia foram suspensos, há maior disponibilidade de equipamentos no mercado”, explica.

COMMENTS