Falta de estrutura atrapalha transporte de produtos

"Continuamos com dificuldades de transporte e problemas com hidrovias, portos e estradas." Segundo o presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Cesário Ramalho, em dois anos nada mudou

Petrobras vai priorizar áreas já em produção
Mais 45,5 quilômetros de rodovias vão ser recuperadas pelo DER no Sudoeste
Após furtos em SC, governo contrata empresa para controlar doações e reforçar segurança

No lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), há dois anos, a agricultura foi excluída do projeto, mas poderia se beneficiar indiretamente das obras de infraestrutura, que reduziriam alguns gargalos que impedem o avanço da atividade.

De acordo com o presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Cesário Ramalho, as deficiências de infraestrutura dificultam o desenvolvimento agrícola. “Continuamos com dificuldades de transporte e problemas com hidrovias, portos e estradas.” Segundo ele, em dois anos nada mudou.

A dificuldade logística também afeta os preços. “Os problemas estruturais oneram o produto brasileiro.” Ramalho conta que na Argentina a remuneração ao produtor é melhor, devido às facilidades para escoar a produção.

Na época do lançamento, representantes do setor acreditaram que mudanças ocorreriam. “Os projetos de infraestrutura, se forem executados, atenderão aos nossos principais pleitos. São investimentos que contribuem para desonerar os custos de produção”, disse, um dia após o lançamento do PAC, Ricardo Cotta, superintendente- técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

No oeste da Bahia, importante região produtora de algodão, não há sinal do PAC. “Não sentimos nenhuma diferença”, diz o presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), João Carlos Jacobsen. O que existe não região, por enquanto, é um projeto de ferrovia, que segundo Jacobsen, está em fase de definição de rotas. “Não há máquinas trabalhando.”

Link para a matéria

COMMENTS