Como vencer a luta contra o trânsito

Os objetivos são desafogar o trânsito, poluir menos e, claro, chegar mais rápido ao destino

Política integrada deve aprimorar desempenho do complexo portuário
Agronegócio e montadoras vão frear economia do PR
Hoje (28) é dia de pagar o 13º salário. Como está o caixa das empresas nessa época de crise?

A lentidão nas ruas da cidade e a poluição do ar são alguns dos principais alvos de reclamação dos moradores de São Paulo, a maior cidade da América Latina. Mas, ao invés de ficar esperando por obras viárias gigantes que possam resolver o problema, alguns habitantes decidiram fazer a sua parte.

O empresário italiano Alessandro Corona, diretor da clínica capilar Cesare Ragazzi Company, por exemplo, trouxe a solução aplicada nas ruas de sua terra natal: por opção, ele utiliza uma scooter como meio de transporte diário. Os objetivos são desafogar o trânsito, poluir menos e, claro, chegar mais rápido ao destino. O costume vem da Europa, mais precisamente de Milão, na Itália, onde, segundo Corona, é comum que executivos utilizem esse meio de locomoção. “Lá, andar de scooter é um meio de transporte e não de passeio, como costuma acontecer aqui. As cidades italianas não têm estacionamentos”, relata o empresário.

Corona acredita que ainda há uma resistência com relação a esse tipo de transporte na cidade: “As pessoas me perguntam muito se eu não tenho medo, mas sou respeitado no trânsito. O motorista de carro de São Paulo é mais disciplinado que o europeu”, garante. Franz Schoenborn é ainda mais radical na escolha de um veículo que não contribua para a poluição e o trânsito: optou pela bicicleta. Para ir ao trabalho, o diretor da Present-Service Brasil, empresa de marketing direto, pedala por cinco quilômetros da avenida Paulista até o centro da cidade e só usa o carro em último caso, quando está chovendo ou para fazer uma viagem. Mesmo chamando atenção para a falta de ciclovias na cidade, o executivo não deixa de presentear São Paulo deixando o carro na garagem.

COMMENTS