Algodão pode ser usado em biodiesel

O caroço do algodão tem um teor de óleo que varia de 18 a 20%. Foram implantados 82 experimentos em sete municípios do Piauí e sete, do Maranhão

Proposta amplia composição do Sistema Nacional de Trânsito
TAM e TAP terão parceria em vôos para a Argentina
Não haverá privatização da Infraero

Estudos feito pela Embrapa Meio-Norte mostram que o algodão e o girassol têm potencial para a produção de biocombustíveis no Piauí e no Maranhão.

Segundo a estatal de pesquisa, a produtividade média é de 4,3 toneladas de algodão em caroço por hectare no Piauí e 4,2 toneladas, no Maranhão. O caroço do algodão tem um teor de óleo que varia de 18 a 20%. Foram implantados 82 experimentos em sete municípios do Piauí e sete, do Maranhão.

No Piauí, os municípios de Baixa Grande do Ribeiro e Uruçuí foram os que apresentaram as melhores médias de produtividade. No primeiro, a produtividade variou de 3,2 a 4,3 toneladas por hectare. No segundo, a média foi de 2,7 a 3,4 toneladas por hectare.

Pesquisas desenvolvidas pela Embrapa Meio-Norte indicam que o girassol é mais uma alternativa para a produção de biocombustíveis. Estudos realizados em cinco municípios do Piauí e em cinco do Maranhão reforçam a tese do pesquisador José Lopes Ribeiro. “As condições de clima e solo nos cerrados, são favoráveis ao desenvolvimento da cultura”.

O teor médio de óleo encontrado nos genótipos de girassol avaliados nos experimentos no Piauí teve uma variação de 36,9 a 47,3 %. Estes números representam um rendimento de 465 a 942 quilos de óleo por hectare. Nos ensaios desenvolvidos no Maranhão, o teor médio de óleo das sementes dos genótipos de girassol variou de 33,1 a 44,4%.

COMMENTS