Ações da Scania caem com oferta da Porsche

Os papéis da companhia recuaram US$ 0,57, ou 5,6%, para US$ 9,59, maior queda em um único dia desde 12 de dezembro

Transporte de doações para desabrigados de Santa Catarina é suspenso
Marcopolo espera reação do mercado
Governo quer tecnologia do trem de alta velocidade

As ações da Scania, segunda maior fabricante de caminhões da Suécia, sofreram sua maior queda em quase quatro semanas no pregão de Estocolmo depois que a Porsche afirmou que oferecerá o preço mínimo em sua oferta de aquisição, segundo estipulado pela legislação de mercado do país.

Os papéis da companhia recuaram US$ 0,57, ou 5,6%, para US$ 9,59, maior queda em um único dia desde 12 de dezembro. As ações da Scania caíram 44% no último ano, de modo que o valor de mercado montadora caiu para US$ 7,84 bilhões.

No dia 5 de janeiro a Porsche adquiriu uma participação majoritária da Volkswagen, montadora alemã com sede na cidade de Wolfsburg, que é a acionista controladora da Scania, obrigando-a a fazer uma oferta pela totalidade das ações da empresa sueca. Órgãos reguladores do país estabeleceram um preço mínimo para a oferta de compra.

A Volks, maior montadora da Europa, possui atualmente 68,6% sobre os direitos de voto da Scania, depois de aumentar a sua participação que era de 38% em meados de 2008. A Porsche tem acumulado ações da Volkswagen desde 2005 e espera chegar a 75% este ano.

A Porsche “não está obrigada a oferecer preços similares aos do período anterior à aquisição, estando apenas obrigada a oferecer o preço mínimo estipulado pela lei”; não tem interesse estratégico na Scania e não está interessada em comprar ações da companhia, informou a Porsche, com sede em Stuttgart, no dia 5 de janeiro. O mercado de ações sueco não funcionou na última terça-feira devido a um feriado local.

A empresa Sal. Oppenheim Jr. & Cie. rebaixou sua recomendação para as ações da Scania de “neutro” para “reduzir”.

Mercado brasileiro

A Scania, que tem fábrica no Brasil, tem aqui um de seus maiores mercados mundiais. A fábrica localizada em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, produz caminhões, ônibus e motores. Até o ano passado a maior parte da produção era destinada à exportação.

Dados preliminares (os oficiais serão divulgados hoje pela Anfavea hoje) mostram que a Scania vendeu ano passado no atacado 8.010 caminhões (6,3% do mercado) e 821 ônibus (2,9% de participação).

COMMENTS