Ações da Scania caem com oferta da Porsche

Os papéis da companhia recuaram US$ 0,57, ou 5,6%, para US$ 9,59, maior queda em um único dia desde 12 de dezembro

Câmara aprova atualização do Sistema Nacional de Viação
Reforma tributária pode aumentar PIB em 11,8%, estima Ministério da Fazenda
Viaduto da Unisinos será erguido na BR-116

As ações da Scania, segunda maior fabricante de caminhões da Suécia, sofreram sua maior queda em quase quatro semanas no pregão de Estocolmo depois que a Porsche afirmou que oferecerá o preço mínimo em sua oferta de aquisição, segundo estipulado pela legislação de mercado do país.

Os papéis da companhia recuaram US$ 0,57, ou 5,6%, para US$ 9,59, maior queda em um único dia desde 12 de dezembro. As ações da Scania caíram 44% no último ano, de modo que o valor de mercado montadora caiu para US$ 7,84 bilhões.

No dia 5 de janeiro a Porsche adquiriu uma participação majoritária da Volkswagen, montadora alemã com sede na cidade de Wolfsburg, que é a acionista controladora da Scania, obrigando-a a fazer uma oferta pela totalidade das ações da empresa sueca. Órgãos reguladores do país estabeleceram um preço mínimo para a oferta de compra.

A Volks, maior montadora da Europa, possui atualmente 68,6% sobre os direitos de voto da Scania, depois de aumentar a sua participação que era de 38% em meados de 2008. A Porsche tem acumulado ações da Volkswagen desde 2005 e espera chegar a 75% este ano.

A Porsche “não está obrigada a oferecer preços similares aos do período anterior à aquisição, estando apenas obrigada a oferecer o preço mínimo estipulado pela lei”; não tem interesse estratégico na Scania e não está interessada em comprar ações da companhia, informou a Porsche, com sede em Stuttgart, no dia 5 de janeiro. O mercado de ações sueco não funcionou na última terça-feira devido a um feriado local.

A empresa Sal. Oppenheim Jr. & Cie. rebaixou sua recomendação para as ações da Scania de “neutro” para “reduzir”.

Mercado brasileiro

A Scania, que tem fábrica no Brasil, tem aqui um de seus maiores mercados mundiais. A fábrica localizada em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, produz caminhões, ônibus e motores. Até o ano passado a maior parte da produção era destinada à exportação.

Dados preliminares (os oficiais serão divulgados hoje pela Anfavea hoje) mostram que a Scania vendeu ano passado no atacado 8.010 caminhões (6,3% do mercado) e 821 ônibus (2,9% de participação).

COMMENTS