Vale suspende produção de duas fábricas no Espírito Santo por causa da crise global

A interrupção da produção é a conseqüência direta da queda das encomendas da China, atualmente principal cliente da multinacional brasileira, mercado também afetado pela crise global

Paranaguá disponibiliza dois berços para socorrer Itajaí
China pode se converter no maior mercado da DHL
Câmara torna trecho de estrada do Paraná em rodovia federal

A Vale anunciou hoje (8), em nota oficial, em seu site , a suspensão das operações de duas plantas do Porto de Tubarão, no Espírito Santo, com capacidade total de produção de 7,3 milhões de toneladas métricas anuais de pelotas (pequenos aglomerados de minério de ferro). A interrupção da produção é a conseqüência direta da queda das encomendas da China, atualmente principal cliente da multinacional brasileira, mercado também afetado pela crise global.

“A decisão de reduzir a produção de pelotas deve-se à contração sem precedentes da demanda global por minério de ferro e pelotas”, diz a nota da Vale, que não informa sobre novas demissões. Segundo a empresa, a parada das duas plantas vem se somar à interrupção das atividades de duas outras unidades da Vale no Porto de Tubarão, desde 5 de novembro de 2008.

Além disso, dá seqüência ao ajuste de produção já em andamento na empresa, que suspendeu, até meados de janeiro de 2009, “a operação de duas plantas de nossa joint venture Samarco Mineração, compreendendo no total produção equivalente a 29,3 milhões de toneladas anuais de pelotas”, informa a nota.

“Diante da severidade da recessão global e das incertezas sobre a evolução futura da demanda, a Vale continuará a administrar sua produção de acordo com as condições de mercado prevalecentes no curto prazo”, informa a nota da mineradora.

Na semana passada, a Vale demitiu 1.300 funcionários e colocou em férias coletivas outro contingente de 5.500 empregados. Segundo a assessoria da mineradora, a Vale está remanejando para outras fábricas os empregados demitidos.

Link para a matéria

COMMENTS