Galeão, em obras, se prepara para receber passageiros na alta estação

Segundo o superintendente do aeroporto, Wilson Massa, os passageiros vão entender que possíveis transtornos irão trazer mais conforto

Mudanças no trânsito custarão US$ 26 milhões
Transportes: Custos caem com soluções alternativas
Outubro registra queda de 11% na venda de carros novos, pior resultado desde 2003

As obras da Infraero para levar melhorias ao Aeroporto Internacional do Galeão/ Antonio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro, não serão interrompidas, mesmo com o período de alta estação. Segundo o superintendente do aeroporto, Wilson Massa, os passageiros vão entender que possíveis transtornos irão trazer mais conforto.

O passageiro William Portas já passou pelo Galeão pelo menos umas 20 vezes nos últimos 4 anos. Prefeito da cidade de Cambuci, no Estado do Rio de Janeiro, viaja sempre a Brasília e diz não se importar com alguns banheiros fechados para reforma. “Vale a pena se for para melhorar o aeroporto. Será compensador, pois entendo que esta situação vai trazer mais conforto para todos”, diz. Portas conta ainda que notou os novos painéis de aviso sobre informação de vôos, referindo-se aos novos monitores de LCD que acabaram de ser instalados no Galeão.

O advogado Silvio Luiz Passos também notou que no terminal 1 de passageiros, em reforma, alguns funcionários trabalham no polimento do  piso. Ele disse não se importar com o barulho. “Só espero que tenha mais áreas para fumantes”, diz ele.

Pente-fino

Para garantir um fim de ano tranqüilo no Galeão, a equipe da Diretoria de Operações da Infraero esteve nesta segunda-feira (1/12) no aeroporto para checar possíveis gargalos no trânsito de passageiros. Quem conferiu pessoalmente a vistoria foi o diretor de Operações, Tenente Brigadeiro do Ar Cleonilson Nicácio Silva.  Técnicos contabilizaram, por exemplo, tempo de embarque e desembarque de passageiros e o tempo de passagem pelos equipamentos de raios-X. O grupo também conferiu as dezoito novas telas de LCD e a reforma de alguns banheiros do terminal.

Na parte da tarde, a equipe se reuniu para checar os itens fiscalizados. O diretor de Operações pediu mais agilidade na limpeza e reforma das pontes de embarque. “Elas são as portas de entrada de quem chega ao Galeão e o passageiro merece o melhor”, disse. Nicácio também já iniciou o planejamento para 2016, quando o Brasil poderá sediar as Olimpíadas: “Vamos nos preparar para atender cerca de 15 mil passageiros por hora”, garante.

O presidente da Infraero, Sergio Gaundezi,  também continua as vistorias para checar o funcionamento dos aeroportos da rede. Ele garante que os passageiros que utilizarem os aeroportos não vão passar por dificuldades. “Muito pelo contrário, terão mais um final de ano de tranquilidade, como foi no ano passado”, alerta.

COMMENTS