Expresso Araçatuba sai à compra de três empresas

O diretor-comercial do Expresso Araçatuba, Geraldo Corrêa, disse que o objetivo é atuar com distribuição em regiões onde a empresa opera com parceiros. "Também não atuamos com distribuição no Nordeste do País, mas esta região ficará para o segundo momento do plano de expansão

Investimento privado em portos para cargas exclusivamente de terceiros poderá ser permitido
Empresa cria ferramenta para os operadores
Embarque de carne de frango despenca

Mesmo prevendo tempos difíceis, a Expresso Araçatuba já está de olho em empresas do setor. O plano estratégico da empresa para 2009/2013 prevê a aquisição de mais três empresas do Sul e Sudeste do País.

O diretor-comercial do Expresso Araçatuba, Geraldo Corrêa, disse que o objetivo é atuar com distribuição em regiões onde a empresa opera com parceiros. “Também não atuamos com distribuição no Nordeste do País, mas esta região ficará para o segundo momento do plano de expansão. Nosso foco agora é Sul e Sudeste”, disse o executivo.

Segundo ele, o próximo ano será decisivo para avançar as negociações com empresas almejadas. As compras devem ser finalizadas em 2010. “Teremos novidades, e boas”, acrescentou Corrêa.

O executivo ressaltou ainda que outro plano da companhia é abrir o capital nos próximos anos. “Já estamos nos preparando para a abertura de capital há 18 meses. Essa ação vai depender do comportamento do mercado. Se o momento estiver favorável será em breve”, afirmou Corrêa, acrescentando que a consultoria Price está preparando a empresa de acordo com as normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para iniciar a comercialização de ações na Bolsa de Valores.

Para 2009, os planos de crescimento são mais modestos. O presidente da empresa, Oswaldo Castro Jr, disse que a expectativa é ampliar a receita em torno de 7%. “Com a crise financeira mundial tivemos que rever nossas projeções. A queda em setores representativos para a empresa, como automotivo e de eletroeletrônico, forçou essa revisão para baixo”, disse. A projeção anterior era de um crescimento de 15% no próximo ano.

Castro ressaltou que neste ano a Expresso Araçatuba deverá atingir um faturamento de R$ 300 milhões, valor 20% superior ao faturado no ano passado. “Seria melhor se não estivéssemos vivendo um momento de turbulência econômica. Até outubro, os negócios estavam indo muito bem. Até 2012, a expectativa é ter um faturamento de R$ 1 bilhão”, disse o executivo. “Estávamos surfando sobre a onda”.

Até novembro, segundo dados da empresa, o faturamento cresceu 18,7% em relação ao mesmo período de 2007. “Novembro, historicamente, sempre foi o melhor mês para o transporte de cargas e neste ano aconteceu o contrário. Tivemos uma queda de 30% no faturamento em razão da baixa no transporte de setores que foram mais atingidos pela crise”, explicou Corrêa.

Segundo ele, o Expresso Araçatuba tinha acumulado uma “gordura” de R$ 3,2 milhões em caixa durante todo o ano. “Com a queda no mês de novembro queimamos R$ 3 milhões. Essa política da empresa de criar uma gordura para queimar na época de vacas magras nos deu fôlego para passar pela crise e não sermos tão afetados”.

Castro completou afirmando que em 2009 o Expresso Araçatuba irá direcionar os investimentos para a área tecnológica e de treinamento. “Investimos muito nos últimos dois anos em frota e abertura de novas filiais. Agora chegou a hora de voltarmos nossos recursos para áreas estratégicas para aumentar nossa produtividade”, disse o presidente. Neste ano, o Expresso Araçatuba investiu cerca de R$ 16 milhões em renovação de frota e expansão da rede. “Para 2009, ainda não fechamos o valor que investiremos. O momento é de incertezas.”.

COMMENTS