Embraer prevê queda nas vendas de aviões em 2009, mas nega demissões

A Embraer, segundo presidente da Embraer, está se preparando para lidar com uma recessão mais longa que a esperada por alguns analistas

Hidrovia Paraná-Tietê, um novo e mais barato caminho para MS
Licitado acesso à Perdigão
Docas e aeroportos adotam plano para conter gripe suína

O presidente da Embraer, Frederico Curado, afirmou hoje (18) que o efeito da crise financeira  internacional  e a escassez de crédito devem causar uma redução das vendas de aviões da empresa em 2009. “Vamos ter uma redução”, disse Curado ao constatar que a atual fase da economia global talvez seja a pior vivida por sua geração. A  Embraer, segundo o executivo,  está se preparando para lidar com uma recessão mais longa que a esperada por alguns analistas.

“As companhias dependem de crédito para comprar seus aviões”, disse ele, ressaltando como  um dos principais fatores que o leva prever a queda nas  vendas. Neste ano, contudo, a crise não prejudicou os negócios da empresa. Curado informou que a Embraer fechou contratos para vendas de aviões cujo valor chega a US$ 7 bilhões, soma superior à expectativa feita pela companhia no início de 2008.

Curado afirmou que a companhia está monitorando atentamente os rumos da economia para adequar-se às condições do mercado mundial em 2009. Ele, entretanto, negou a intenção da  empresa adiar seus investimentos e disse que notícias sobre demissões na Embraer são levianas. “Não vamos demitir 4, 0 mil funcionários, como foi divulgado por alguns jornais.”, disse ele. (Vinicius Konchinski-Repórter da Agência Brasil)

Link para a matéria

COMMENTS