Volvo já faz novo plano de investimentos

"Nós estamos esperando para 2009 uma queda de vendas entre 5% a 10% porque a crise mundial está ajudando o mercado brasileiro a voltar ao normal, já que faltavam caminhões para vendas", adiantou Fedalto. "

Sadia começa a demitir funcionários
Diretor da Antaq diz que falta orçamento para concluir projetos de hidrovias no Centro-Oeste
Porto de Paranaguá aumenta exportação de açúcar em 29%

A Volvo do Brasil encerrou ontem um ciclo de investimentos de US$ 110 milhões feitos nos últimos três anos e que culminou com o lançamento de um novo modelo de caminhão – o FM 11 litros, que irá disputar o mercado do transporte de carga para veículos de até 50 toneladas, faixa em que a empresa ainda não atuava. O projeto do FM levou cinco anos para ser desenvolvido, com um investimento de US$ 25 milhões. O presidente da empresa, Tommy Svensson, confirmou que a Volvo está preparando um novo ciclo de investimentos para os próximos três anos e que ele será anunciado no início de 2009, provavelmente em janeiro: “Não é uma crise passageira de mercado que irá alterar os nosso planos de longo prazo para o País”, disse ele.

Segundo Bernardo Fedalto Jr., gerente de caminhões da linha F”, em outubro, inclusive, a Volvo bateu todos os seus recordes com o faturamento de 1.037 caminhões no mercado interno e vai chegar a 10 mil unidades comercializadas até o final do ano contra 7.053 em 2007. De janeiro a outubro, a Volvo vendeu 8.773 unidades.

“Nós estamos esperando para 2009 uma queda de vendas entre 5% a 10% porque a crise mundial está ajudando o mercado brasileiro a voltar ao normal, já que faltavam caminhões para vendas”, adiantou Fedalto. ” Dá para perceber que o mercado está se normalizando e estabilizando porque nosso prazos de entrega nos últimos dias já caíram de 90 a 120 dias para 60 dias, o que é o normal”, contou. “Se nós conseguíssemos produzir mil caminhões a mais em 2008 teríamos vendido todos”, acrescentou.

Para ele, em 2009, não irão se repetir as vendas de 80 mil caminhões na faixa acima de 15 toneladas previstas para 2008, recorde histórico, mas ” certamente o número será elevado e um segundo lugar entre os recordes”, completou. Fedalto acredita que a Volvo do Brasil terá ganhos de mercado no ano que vem porque ” não vão mais ocorrer episódios como a ida de clientes a fornecedores concorrentes porque não tínhamos caminhões para entrega naquele momento”, disse. Ele confirmou que o principal gargalo da empresa – o fornecimento de caixas de câmbio pela matriz sueca – já está resolvido e que o aumento da produção do componente na Suécia deverá a acontecer seis meses antes do previsto, a partir de janeiro próximo. Os veículos da marca tem, em média, 70% de componentes nacionais.

Segundo o gerente de planejamento estratégico da Volvo Brasil, Sérgio Gomes, “a empresa certamente terá de fazer novos investimentos na fábrica brasileira para adaptar a produção de motores a nova lei de emissões que deverá obrigar o uso de um novo diesel com 50 ppm de enxofre e “também para uma série de desenvolvimentos na linha de veículos”. Ele confirmou que a Volvo já possui o motor para este novo diesel e para o de 10 ppm, e que aguarda a oferta do combustível no mercado.

O presidente da empresa, Tommy Svensson confirmou também que a empresa não pretende diminuir seu volume de exportações, que significam 25% da produção da empresa, ou cerca de 3 mil veículos ” porque o mercado da América Latina, que é de nossa responsabilidade, ainda está muito aquecido na Argentina, Peru e Chile”, disse.

O diretor da Volvo Financial Services Brasil, o banco da fábrica, Adriano Merigli, confirmou que a empresa está se preparando para aumentar a concessão de financiamentos aos seus clientes em 2009 porque ” se espera uma redução de operações nos bancos tradicionais”. “Como 70% das vendas saem pela linha Finame, do BNDES, acredito não haverá problema de falta recursos. Nós pretendemos financiar R$ 1 bilhão, um pouco mais que em 2008, cujo resultado deverá fica próximo deste número”, disse ele.

Novo veículo

O Volvo FM 11 litros com motor de 370 cavalos que a empresa lançou ontem em Curitiba fica numa faixa intermediária até aqui não ocupada pela empresa – abaixo e acima desta categoria estão o VM 310 cavalos e o FH 400 cavalos. Assim, a linha de produtos está segmentada pelo Volvo VM com motor de 7 litros e 310 cavalos, para operação na faixa de 40 toneladas de Peso Bruto Total Combinado ( PBTC), FM com motor de 11 litros e 370 cv para a faixa de 50 toneladas de PBCT e o FH, como motor de 13 litros e potências de 400 cv, 440 cv, 480 cv e 520 cv, para a faixa de 60 toneladas de PBCT, ou acima disso. Segundo Bernardo Fedalto, a empresa espera comercializar perto de 1.000 unidades do FM 11 litros em 2009.(Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 1)(Norberto Staviski)

Link para a matéria

COMMENTS