Etanol está 50% mais caro que gasolina nos EUA

Para analistas, a baixa atratividade do biocombustível no mercado americano demandará ao país a importação de etanol a preços mais baixos para cumprimento de suas metas de mistura obrigatória

Porto Novo de Rio Grande terá investimentos de R$ 84 milhões
Fundo vai beneficiar trabalhadores do Porto de Itajaí atingidos pela chuva
Receita Federal impõe cota zero para pneus

Diferentemente do que ocorre no Brasil, os preços da gasolina nos Estados Unidos (EUA) estão em queda vertiginosa e mais competitivos do que os do etanol de milho. Ontem, o galão foi cotado a US$ 1,642 na Bolsa de Chicago (CBOT), 50% mais alto que o de gasolina, que fechou em US$ 1,09 na New York Mercantile Exchange (Nymex). Para analistas, a baixa atratividade do biocombustível no mercado americano demandará ao país a importação de etanol a preços mais baixos para cumprimento de suas metas de mistura obrigatória. “Mas aqui no Brasil os preços estão firmes com tendência de se manterem fortalecidos na entressafra. O mercado está em dúvida sobre como essa equação será resolvida nos Estados Unidos e como afetará o Brasil”, explica Mário Silveira, analista de gerenciamento de risco da FCSTone.

Para 2009, os americanos têm meta de consumir 10,5 bilhões de galões de etanol, 16% mais que o definido para este ano. Além da perda de competitividade do biocombustível em relação à gasolina – que se traduz em preços mais baixos à industria – grande parte das empresas de etanol nos americanas está com prejuízos ou já requereu recuperação judicial por terem comprado a matéria-prima (milho) a preços mais elevados dos que os atuais esperando fechar as contas, uma vez que tratava-se de momento em que os preços do etanol estavam mais atrativos. “A mistura de etanol nos Estados Unidos está inviável inclusive com o incentivo que o governo concede ao misturador de 0,51 centavos de dólar por galão”, explica Silveira.

Desde o começo de outubro, a cotação do galão de etanol recuou 12%, de US$ 1,86 para US$ 1,64 na CBOT. Os preços da gasolina, neste mesmo período, caíram 58%, de US$ 2,59 para US$ 1,09. Desde o começo de novembro, os preços do etanol caíram 5,7% e os da gasolina, 19,8%.

A capacidade instalada e prevista para entrar em operação no ano que vem nos Estados Unidos somam 13,5 bilhões de galões. “Mas o que está sendo utilizado desta capacidade é que esta reduzindo-se por causa dessa crise”, explica Silveira.

Como o mercado brasileiro irá se posicionar diante desse cenário ainda é incerto. Miguel Biegai, da Safras & Mercado, afirma que, por enquanto, o ritmo de fechamento de contratos de exportação para a próxima safra ainda está muito lento.

COMMENTS