Apesar da crise, embarque de café sobe em outubro

Em volume, os embarques atingiram 3,017 milhões de sacas de 60 quilos, elevação de 6,7% sobre outubro de 2007, segundo o Conselho dos Exportadores do Café (Cecafé)

Fase difícil acabou para as autopeças
Projeto pode aumentar pena por mortes em acidentes de trânsito
Desemprego em São Paulo é recorde, informa Dieese

As exportações brasileiras de café alcançaram uma receita de US$ 493 milhões em outubro, aumento de 21% sobre igual período do ano passado. Em volume, os embarques atingiram 3,017 milhões de sacas de 60 quilos, elevação de 6,7% sobre outubro de 2007, segundo o Conselho dos Exportadores do Café (Cecafé).

No acumulado dos dez meses do ano, a receita ficou em US$ 3,759 bilhões, um incremento de 19,7% sobre janeiro a outubro de 2007. No mesmo período, os embarques somaram 23,055 milhões de sacas, com recuo de 0,8% sobre igual período de 2007.

O bom desempenho do setor em outubro, durante um período de plena turbulência financeira global, reflete os contratos de exportação fechados antes da crise, segundo o Cecafé. Os exportadores acreditam que os embarques poderão ser comprometidos nos próximos meses, por conta da escassez de crédito e encarecimento das taxas cambiais.

O porto de Santos (SP) mantém-se como líder dos embarques dos grãos no país, com um volume de 1,703 milhão de sacas escoado em outubro e 13,643 milhões de sacas no acumulado até o mês passado. Vitória é o vice-líder, com embarques de 523,5 mil sacas em outubro e 3,349 milhões de sacas no acumulado do ano.

Os principais importadores do café brasileiro até outubro foram a Alemanha, com 3,815 milhões de sacas; os Estados Unidos, com 3,581 milhões de sacas; a Itália, com 2,161 milhões de sacas, e a Bélgica, com 1,814 milhão de sacas. O Cecafé mantém suas estimativas de exportar este ano cerca de 28 milhões de sacas.

COMMENTS