Anvisa proibe fabricação e importação de medicamentos com o gás CFC

Essa foi a determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (26)

Porto do Rio Grande vai dobrar capacidade
Parceria garante criação de duas linhas terrestres ligando Brasil e Peru
Demanda faz montadoras aumentarem produção local

A partir de 1° de janeiro de 2011, a fabricação e importação de medicamentos que contêm o gás cloroflúorcarbono (CFC) estarão proibidas. Essa foi a determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (26).

O fator determinante para a proibição foi o fato da emissão de CFC poder destruir a camada de ozônio, ocasionando prejuízos ao meio ambiente e à saúde humana.

Para esclarecer os consumidores, os fabricantes terão até o dia 31 de julho de 2009 para incluir nas bulas e embalagens a seguinte mensagem: “Este medicamento contém substâncias que agridem a camada de ozônio e por isso será substituído. Procure o seu médico para orientações”.

Segundo a Anvisa já existem alternativas ao uso do CFC. O gás hidrofluoralcano (HFA) tem efeito semelhante e custo menor. Para a adequação dos produtos, as empresas deverão entrar com um pedido junto à agência até o dia 31 de Julho de 2010.

O CFC é usado em medicamentos inaladores de dose medida, conhecidos como “bombinhas para controle de asma”. Atualmente, 12 produtos que utilizam o gás estão registrados na Anvisa.

Link para a matéria

COMMENTS