Trecho baiano da Rio-Bahia vai a leilão

O edital foi publicado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na edição de quarta-feira do Diário Oficial da União (DOU) e fixa como parâmetro de preço máximo a tarifa de R$ 2,80, que valeu também para o leilão de sete trechos de rodovias federais realizado um ano atrás

Câmara aprova definição de trechos em rodovia no Pará
Projeto exige que radares eletrônicos sejam pintados de amarelo
Autoridades se reúnem com presidente da ANTT

Já está na praça o edital de licitação para concessão à iniciativa privada da exploração da antiga rodovia Rio-Bahia, no trecho de 680 quilômetros que liga Salvador à divisa com Minas Gerais (BR-116 e BR-324). O edital foi publicado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na edição de quarta-feira do Diário Oficial da União (DOU) e fixa como parâmetro de preço máximo a tarifa de R$ 2,80, que valeu também para o leilão de sete trechos de rodovias federais realizado um ano atrás, como parte da segunda etapa do processo de licitações rodoviárias.

O projeto do novo leilão prevê investimentos de R$ 1,9 bilhão no período de 25 anos de duração da concessão e a criação de sete praças de pedágio, a serem exploradas pela empresa que oferecer a menor tarifa – ou o maior deságio sobre o preço de referência de 2007, cuja fórmula prevê a atualização pelo Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA).

A taxa de retorno dos investimentos previsto pelo edital foi reduzida pela ANTT. Em 2007 foi de 8,95% e agora será 8,5%, redução que conflita com a restrição ao crédito pelo sistema financeiro internacional, já que há mais riscos no horizonte. Essa restrição vem sendo compensada no Brasil com maior disponibilização de recursos internos, como os R$ 23 bilhões adicionais anunciados na noite de quinta-feira pelo Banco Central.

O lançamento do edital causou surpresa ao mercado devido à crise financeira internacional. Mas o Ministério dos Transportes acredita que a crise não vai eliminar o interesse dos investidores no leilão, previsto para o dia primeiro de dezembro deste ano. “Nós acreditamos que os investidores continuarão interessados nas boas oportunidades de negócios em outros mercados, especialmente no Brasil”, afirmou, em nota, o secretário-executivo, Paulo Sérgio Passos, do ministério.

No último leilão, o deságio chegou a até 65,4% e teve como maior vencedor o grupo OHL (espanhol), que vai explorar cinco trechos. A rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo e Belo Horizonte, a Régis Bittencourt entre São Paulo e Curitiba e os tramos da BR-116 que ligam Curitiba à divisa de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, Curitiba e Florianópolis e a BR-101 no Rio de Janeiro, desde a ponte Rio Niterói até a divisa do estado com o Espírito Santo.

O próximo edital da terceira etapa continua nos planos oficiais e deve disponibilizar o trecho de cerca de 750 quilômetros da BR-040 entre Brasília e Belo Horizonte. Estão previstos também editais para os trechos que ligam Belo Horizonte a Governador Valadares (BR-381, em MG) e de Belo Horizonte a Juiz de Fora (BR-040).

A ANTT vai realizar uma audiência pública para colher sugestões sobre os estudos de viabilidade econômica para os três trechos (BR-040, BR-381 e BR-116) que somam 2.054 quilômetros ligando o triângulo entre Brasília, Salvador e Rio de Janeiro. As audiências serão realizadas em Brasília e Belo Horizonte. Na capital federal será no dia 13 de outubro e na mineira em 4 de novembro. (Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 2)(Márcio de Morais e Rivadavia Severo)

Link para a matéria

COMMENTS