Projeto altera traçado da BR-080, incluindo ligação entre o entroncamento da BR-364, oeste de Rondônia e fronteira com a Bolívia, no Beni

Ela surgirá em Rondônia e prevê o prolongamento da rodovia BR-080 no trecho entre os municípios de Ariquemes, na BR-364 (Cuiabá-Porto Velho-Rio Branco), Buritis, Nova Mamoré e Guajará-Mirim

Semestre fecha com queda de 24% nas exportações paranaenses
Diário Oficial traz publicado decreto do governo que altera cobrança de IPI
França quer que União Européia suspenda vôos para o México

Seis anos depois de muitas promessas, estudos e projetos, o País deve ganhar mais uma saída para o Oceano Pacífico. Ela surgirá em Rondônia e prevê o prolongamento da rodovia BR-080 no trecho entre os municípios de Ariquemes, na BR-364 (Cuiabá-Porto Velho-Rio Branco), Buritis, Nova Mamoré e Guajará-Mirim.

Se receber também a aprovação ambiental a estrada cortará uma parte da floresta da Amazônia Ocidental no sentido leste-oeste, em Rondônia. O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) confirmou a construção de uma ponte internacional sobre o Rio Mamoré, no município de Guajará-Mirim, a cerca de 360 quilômetros de Porto Velho, capital rondoniense.

A saída para os portos do Pacífico pelo Estado do Acre será feita a partir de 2009 pela BR-317, que se une em território peruano à Rodovia Transoceânica (ou Interoceânica), a partir da fronteira, em Assis Brasil (AC) e Inãpari.

“Vamos dispor de uma nova ligação rodoviária com os estados de Mato Grosso e Goiás”, comentou esta semana a deputada. Ela comemorou a mudança no projeto, com o presidente da Comissão de Viação e Transportes da Câmara, deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO).

A partir de Brasília

Pelo Projeto de Lei 3129/08, a BR-080 ganhou cerca de 1.230 quilômetros em seu traçado original, saindo de Brasília e passando por Goiás e Mato Grosso, até chegar a Machadinho do Oeste e Ariquemes. “Nossa iniciativa visa abrir novos caminhos para viabilizar o desenvolvimento econômico de nosso estado”, disse  Marinha Raupp.

Com a alteração proposta da deputada, a rodovia seguirá até Guajará-Mirim. A mudança permitirá ao Governo de Rondônia superar um obstáculo de pelo menos três décadas: oferecer condições de desenvolvimento à região oeste, uma das mais isoladas do estado, mesmo tendo ligação com a Bolívia.

A rodovia também é fundamental para escoar produtos alimentícios e grãos da região centro-oeste brasileira. (MONTEZUMA CRUZ)

Link para a matéria

COMMENTS