Jamef abre duas novas filiais em Uberlândia e Ribeirão Preto

"Estamos ampliando os negócios em todo o Brasil e investimos nestas filiais por estarem localizadas próximas a mercados bastante estratégicos para a Jamef", afirma Paulo Nogueirão, diretor comercial da empresa

Odebrecht leva contrato para construir “Linha Laranja” em Miami
Vôos domésticos vão crescer 3% em 2009
Wilson, Sons investe US$ 50 milhões em cais

A Jamef Encomendas Urgentes, conceituada empresa de cargas fracionadas do País, acaba de inaugurar duas novas filiais: uma em Uberlândia, Minas Gerais, e outra em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. “Estamos ampliando os negócios em todo o Brasil e investimos nestas filiais por estarem localizadas próximas a mercados bastante estratégicos para a Jamef”, afirma Paulo Nogueirão, diretor comercial da empresa.

Uberlândia é considerada o segundo maior mercado consumidor do estado de Minas Gerais e o 24º do Brasil. Possui cerca de 1,4 mil indústrias e mais de 5 mil estabelecimentos comerciais. A nova filial vai suprir a demanda deste mercado, atendendo a mais de 100 cidades da região, entre elas Uberaba, Araxá, Patos de Minas, Araguari, Patrocínio e Ituitaba.

Além de Ribeirão Preto, o interior de São Paulo conta com outras duas filiais da Jamef: Campinas e Bauru. A nova unidade complementará a atuação da empresa na região, já que atenderá a mais de 90 cidades próximos, tornando os prazos ainda menores.

As duas filiais, bem como as demais, contam com instalações e equipamentos de última geração, como os leitores óticos, que permitem o acompanhamento detalhado da carga desde a saída da encomenda do local de origem até seu recebimento pelo destinatário.

“Nosso objetivo é ser reconhecidamente a melhor empresa de transporte de encomendas urgentes. Nosso planejamento e investimentos estão focados no alcance deste objetivo”, ressalta Nogueirão.

No total, a empresa, que nasceu em Minas Gerais há 45 anos, conta com 11 filiais, localizadas nas regiões Sul e Sudeste, uma frota de mais de 600 veículos 100% rastreados via satélite e monitorados 24 horas por dia.

Link para a matéria

COMMENTS