Fundo da Marinha Mercante vai disponibilizar R$ 10 bilhões para a indústria naval

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, anunciou que o governo vai disponibilizar R$ 10 bilhões do Fundo da Marinha Mercante para garantir o financiamento da indústria naval brasileira

Docas do Espírito Santo publica edital para novo cais em Vitória
Porto do Rio Grande exibe investimentos em dragagem em feira de logística
Folha de pagamento encolhe, mas mantém alta

Falando para mais de mil metalúrgicos que participavam do batismo da Plataforma P-51, em Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, anunciou que o governo vai disponibilizar R$ 10 bilhões do Fundo da Marinha Mercante para garantir o financiamento da indústria naval brasileira.

Segundo ela, trata-se de uma forma de combater os efeitos da crise financeira internacional. Na avaliação da ministra, a liberação dos recursos ajudará a indústria naval brasileira no processo de reestruturação e no desenvolvimento do setor para atender à demanda necessária ao desenvolvimento dos trabalhos de exploração e produção do pré-sal.

O Fundo da Marinha Mercante existe há 50 anos e já está incluído no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com previsão de investimento de R$ 10,6 bilhões em projetos da indústria naval até 2010.

“O governo federal vai tornar disponíveis R$ 10 bilhões, através do Fundo da Marinha Mercante, para que a indústria naval possa construir plataforma, navio, frota pesqueira, frota de cabotagem. Nós não estamos fazendo promessas vazias”, disse a ministra durante seu discurso.

Na avaliação dela, mais da metade dos recursos será utilizada para a construção de plataformas. “Ela [indústria naval] será capaz de construir não apenas uma ou duas plataformas, mas até mais. Quem sabe as 30 que serão necessária ao pré-sal, como falou o [José Sérgio] Gabrielli [presidente da Petrobras]. Vai também fortalecer ainda mais a indústria, que poderá construir todos os navios-sonda e todos os barcos de apoio necessários ao pré-sal”. (Nielmar de Oliveira – Repórter da Agência Brasil )

Link para a matéria

COMMENTS