Correios se preparam para aumento de carga no final do ano

O objetivo é garantir a normalidade no transporte da carga postal no final do ano, quando o número de cartas e encomendas aumenta

Aquidauana e ALL discutem a volta do Trem do Pantanal
Gol tem maior fluxo de passageiros desde a compra da Varig
Falta de fiscalização no interior compromete queda do número de acidentes, diz PRF

Em outubro os Correios irão ativar 25 novas linhas de transporte terrestre em São Paulo , Goiás, Rio de Janeiro e Bahia. As linhas devem permanecer em atividade até o fim de dezembro. O objetivo é garantir a normalidade no transporte da carga postal no final do ano, quando o número de cartas e encomendas aumenta.

O tráfego postal de todo o ano de 2007 foi 1,8% superior a 2006. Só no último trimestre de 2007 — período que antecede o Natal —, os Correios registraram um aumento de 3,2% no volume da carga postal, em comparação com o mesmo período de 2006.

O principal aumento normalmente é registrado no volume de encomendas do comércio eletrônico. No Natal, o volume dessas encomendas é cerca de 50% superior à média de outros meses. A previsão é que no Natal deste ano o volume desse segmento — que corresponde a 5% do total de encomendas dos Correios — seja 50% maior do que o registrado em 2007.

Nova malha — Outra medida tomada pelos Correios para melhorar a qualidade da distribuição postal foi a remodelação da malha de transporte nacional terrestre. O trabalho foi iniciado em maio do ano passado e a previsão é que em janeiro de 2009 o Brasil esteja coberto.

A nova malha de transporte traz mais qualidade e agilidade à entrega de cartas e encomendas. Além disso, todos os veículos que fazem transporte entre cidades estão equipados com celular e os que circulam em áreas de risco (onde há registro de roubo ou furto) são rastreados via satélite.

No total, a nova malha possui 205 linhas de transporte com capacidade diária de 5,4 mil toneladas de carga e foi dimensionada levando em consideração a previsão de aumento no volume de carga nos próximos anos, principalmente da encomenda PAC, que vem registrando taxa de crescimento anual de 20% a 25%.

COMMENTS