Governador autoriza recuperação da rodovia entre Guarapuava e Pitanga

Os cerca de 80 quilômetros que formam o trecho foram divididos em dois lotes

Começa dia 18 pagamento da 2ª parcela do IPVA de caminhões
Detran condena projeto de lei que alivia multas
Modelo de privatização de aeroportos deve ficar pronto em 2009, diz Jobim

O governo do Paraná vai investir na recuperação de um dos mais importantes eixos de transporte do Estado. O governador Roberto Requião homologou o resultado da licitação para a realização de obras entre os municípios de Pitanga e Guarapuava (PRC-466), na região Central do Estado.

Os cerca de 80 quilômetros que formam o trecho foram divididos em dois lotes. No total, serão aplicados R$ 9,7 milhões. Os trabalhos, após a decorrência de todos os trâmites, devem ser iniciados nas próximas semanas.

No primeiro segmento, entre Pitanga e Rio Bonito, com 32,7 quilômetros, serão investidos aproximadamente R$ 6 milhões. O segundo, de Rio Bonito até a cidade de Guarapuava, com a extensão de 48,83 quilômetros, deve receber R$ 3,7 milhões.

O trecho é considerado estrutural na malha rodoviária paranaense, por ser a principal ligação das regiões Norte, Vale do Ivaí, Central e Sul do Estado, até a BR-277, principal caminho para o Porto de Paranaguá. Por essa razão, o secretário dos Transportes, Rogério W. Tizzot, reforça que os investimentos representam avanço na infra-estrutura local que refletirá em toda a economia do Estado.

“Pela sua localização estratégica, fazendo a ligação com a BR-277, a rodovia recebe intenso tráfego de caminhões. As obras vão diminuir o tempo e os custos da viagem e favorecer o escoamento da produção das regiões Norte e Central. Além de tornar o trajeto muito mais seguro para os profissionais e demais motoristas que precisam utilizar a via”.

O secretário lembra ainda que os investimentos que vêm sendo realizados pelo Governo do Paraná, na região Central, nos últimos anos, contribuíram para integrar definitivamente os municípios que antes estavam isolados, principalmente, devido à condição precária de algumas das suas rodovias.

“Hoje temos outro panorama, não apenas no Centro do Estado, como em várias outras regiões onde estamos atuando – seja na recuperação e conservação das estradas, ajuda aos municípios com as Patrulhas Rodoviárias e a cessão de material para construção de pontes nas vias rurais, ou ainda na melhoria da infra-estrutura aeroportuária”, finaliza.

Link para a matéira

COMMENTS