Caminhões Perlini se instala em Minas em seis meses

O veículo, com capacidade de 100 toneladas de carga é usado principalmente em mineração e teve sua primeira unidade adquirida em dezembro pela Cia. Vale do Rio Doce

Exportações chinesas caem pela primeira vez em 7 anos
Conselho de aviação cria grupo para propor diretrizes sobre transporte internacional
Vendas de máquinas agrícolas avançam 18,2%

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Rafael Andrade, informou que a fábrica de caminhões ultrapesados Perlini, de origem italiana, já está escolhendo terrenos para instalar uma unidade industrial em Minas Gerais. As obras serão iniciadas dentro de seis meses, no máximo. O veículo, com capacidade de 100 toneladas de carga é usado principalmente em mineração e teve sua primeira unidade adquirida em dezembro pela Cia. Vale do Rio Doce que no momento extrai mais de 200 milhões de toneladas por ano de minério de ferro no estado. O presidente da indústria italiana, Maurício Perlini esteve em Belo Horizonte há dois meses mas ultimar as negociações mas não revelou o valor dos investimentos.

Segundo informações do mercado a Cia. Vale do Rio Doce se mostra interessada em participar do projeto, com o objetivo de estimular a presença da fábrica de caminhões no estado e garantir o fornecimento do produto. A empresa realizou recentemente encomendas de modelos especiais tanto da Volvo quanto da Scania, a partir de veículos rodoviários, com capacidade de tração de 40 toneladas mas que não se mostrou satisfeita com o desempenho das montadoras no quesito assistência técnica. O contrato com a Scania teria sido rompido e a opção agora é por caminhões mais pesados e com garantia assegurada pela participação no empreendimento.

O secretário Andrade informou também que o governo mineiro foi procurado por um indústria chinesa de automóveis, a Chana, que está interessada em montar uma fábrica de carros populares em Minas Gerais. Sua meta é a de produzir, inicialmente, cem mil unidades. Segundo informou, os chineses já apresentaram seus planos ao governador Aécio Neves e no momento as negociações foram encaminhadas ao Instituto de Desenvolvimento Industrial (Indi), que formatará a proposta do governo mineiro, incluindo benefícios fiscais, programa de financiamento e sugestão de locais para a operação da fábrica. Os chineses informaram ao governador que, caso fosse lançado hoje, o automóvel teria uma aparência mais moderna que o Uno Mille mas com preço 15% inferior. (Durval Guimarães – Gazeta Mercantil)

Link para a matéria

COMMENTS