Uma linha marítima entre Brasil e Egito

A agente de carga Wil-Haven quer aumentar o volume transportado para o mercado árabe. Após sua participação em encontros de negócios com empresas do Egito, o país passou a ser prioridade

AGV recebe aporte de R$ 150 milhões
Começam obras nas rodovias federais
Volvo propõe suspensão temporária de contratos

São Paulo – A agente de carga brasileira Wil-Haven, que possui uma linha marítima direta para o Egito, quer aumentar o volume de carga exportado e importado do país árabe. Após a participação da empresa no encontro de negócios com empresas egípcias, realizada na semana passada pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo, a Wil-Haven passou a dar mais prioridade ao mercado.

“Começamos a fazer negócios na própria rodada. Foi um encontro muito importante para nós”, afirmou o executivo de contas da empresa, Cláudio Barreto, que está negociando o transporte de carga do Brasil para o Egito e vice-versa, além do Egito para os Estados Unidos. Segundo ele, após esses contatos, o volume de negócios com o Egito deverá aumentar.

“Hoje, muitos negócios não se concretizam porque o importador ou o exportador fica inseguro em relação aos custos finais da mercadoria. O cliente não sabe a quem procurar para facilitar a logística”, disse Barreto. De acordo com ele, a Wil-Haven tem condições de atender tanto de porto a porto quanto de porta a porta, ou seja, a empresa retira a mercadoria na porta da empresa e entrega diretamente ao cliente.

No Brasil, a Wil-Haven trabalha com nove portos e no Egito com cinco. Além disso, a empresa conta com um escritório em Alexandria, o que facilita ainda mais as negociações. “Podemos ser um parceiro logístico da Câmara Árabe. Oferecemos uma ótima qualidade de serviços e preço”, disse Barreto.

Atualmente, o país árabe para o qual a empresa mais transporta mercadorias é Emirados Árabes, para o porto Jebel Ali. Os principais produtos brasileiros embarcados pela empresa são alimentos, como carnes, commodities e madeira. Do mercado árabe para o Brasil vêm, principalmente, frutas secas e tecidos.

Empresa

Fundada em 2002 como Wil-Haven, após ter assumido a companhia Norsul Barwil, a empresa tem escritórios nos Estados Unidos, China, Índia, além do Egito. Nas Américas, Europa, Oceania e Oriente Médio, a empresa é representada pela Wilhelmsen-Barwil, maior agência de navegação do mundo, com 400 escritórios. “Podemos operar em qualquer tráfego, tanto em exportações quanto importações”, disse Barreto.

O volume entre exportações e importações movimentado pela empresa é de 1,2 mil toneladas por mês, sendo China e Estados Unidos os maiores mercados da empresa. No ano passado, o volume transportado pela Wil-Haven teve um aumento de 47% em relação ao ano anterior.

Link para a matéria

COMMENTS