Ministério dos Transportes aprova extensão da Ferroeste até Paranaguá

Além da previsão em contrato, o projeto comprova econômica e socialmente a necessidade de construção de outros trechos

Fiat instalará centro de engenharia em Betim
Novo aeroporto de Florianópolis deve ficar pronto em março de 2014
Antaq quer revisar Plano Geral de Outorgas do setor portuário em 2010

O projeto de expansão da Ferroeste deve ser encaminhado ainda este mês para técnicos do BNDES e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para que sejam iniciados os procedimentos relacionados ao financiamento e regulamentação do novo trecho que liga Guarapuava, na região Centro-Sul do Paraná, a Paranaguá. Atualmente, a ferrovia pública liga Cascavel a Guarapuava.

A ferrovia, que tem como possibilidade em seu contrato de concessão a construção de novos ramais, teve um projeto de pré-viabilidade de extensão aprovado pelo Ministério dos Transportes.

Além da previsão em contrato, o projeto comprova econômica e socialmente a necessidade de construção de outros trechos. O estudo foi apresentado em Brasília pelo secretário dos Transportes do Paraná, Rogério W. Tizzot, e pelo diretor presidente da Ferroeste, Samuel Gomes.

De acordo com o secretário Tizzot, os dados levantados “indicam o alto grau de viabilidade da construção da ferrovia, tendo em vista o volume de cargas não apenas da região Oeste do Paraná, mas também do Estado do Mato Grosso do Sul e dos países vizinhos, como Paraguai e Argentina”.

“Precisamos seguir o caminho do desenvolvimento e isso só será possível se apostarmos nos modais de transporte mais baratos e eficientes e ampliarmos a multimodalidade, através do incremento das ferrovias, de modo prioritário”, complementa o secretário.

A viabilização de um sistema multimodal de Transportes e a redução de custos para o escoamento da produção paranaense são algumas das vantagens da construção da extensão da Ferroeste. “A nossa principal meta é contribuir para o incremento da logística de desenvolvimento sustentável do Brasil”, explica o presidente da companhia Samuel Gomes.

Link para a matéria

COMMENTS