Governo do Rio quer usar barcas flex

O governo do Rio estuda comprar novas embarcações para fazer a travessia Rio-Niter

Governo assinará plano de intenção para criação do ferroanel esta semana
Produção de veículos em março cresce 34% em relação a fevereiro
CE apto a participar de leilão de biodiesel

O governo do Rio estuda comprar novas embarcações para fazer a travessia Rio-Niterói, de acordo com o secretário estadual de Transportes, Julio Lopes. O secretário vai conhecer hoje o ferry boat Ivete Sangalo, que atracou na cidade ontem, para conhecer a tecnologia do primeiro navio do mundo que permite transporte de passageiros e automóveis construído em alumínio naval e com tecnologia bicombustível: 70% de gás natural e 30% de óleo diesel.

– A proposta do nosso governo é caminhar em direção a veículos menos poluentes e mais eficientes, por isso tenho muito interesse em saber como ele funciona – explicou Julio Lopes.

Modernidade

Reinaldo dos Santos, presidente da TWB, empresa que construiu o barco, diz que a embarcação fará a travessia de 11 quilômetros de Salvador a Itaparica em 25 minutos, menos da metade dos ferrys atuais.

– O alumínio naval pesa um terço do aço, por isso há redução de 80% do peso da embarcação e, automaticamente, aumento da velocidade – explica. – Além disso, há uma diminuição de 80% na emissão de gás carbônico.

Julio Lopes acrescenta que há estudos para operar fora da Baía de Guanabara, estendendo o transporte para a Região Oceânica, Maricá-Saquarema e Recreio dos Bandeirantes-Mangaratiba.

O secretário de Transportes informou ainda que as reclamações da viagem de barcas na travessia Rio-Niterói caíram 50%. Também disse que o tempo de duração da viagem atualmente diminuiu para nove minutos e quatro segundos. E frisou que fez questão de fiscalizar pessoalmente as condições do transporte na segunda-feira.

O sistema de gás do navio foi desenvolvido pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).

Construído no Estaleiro TWB, em Navegantes, Santa Catarina, o navio tem design australiano, motores americanos, cilindros de fibra de carbono franceses e alumínio canadense. Transporta mais de 600 pessoas e 76 veículos por viagem e custou R$ 35 milhões. Ficará até amanhã no Rio e depois seguirá para Salvador.

Reinaldo dos Santos esclarece que para fazer o trajeto Praça XV-São Gonçalo um modelo muito similar poderia ser utilizado, com algumas alterações: retirada da área de acomodação dos automóveis para a colocação de passageiros. O tempo estimado para a viagem segundo ele, seria de 22 minutos.
E para o transporte Rio-Niterói, só com a realização de um estudo. Por enquanto, não há nenhum tipo de pedido do governo do Estado do Rio nesse sentido.

Condições

Passageiros da Barcas S/A, que fazem a travessia Niterói -Rio, dizem que as novas barcas são muito fechadas e que não dá para apreciar a paisagem.

Outra reclamação é o intervalo de saída de uma embarcação para outra, que chega a 30 minutos. Também reclamam que em algumas barcas as lanchonetes não funcionam, por isso não se pode contar com o serviço. (Jornal do Brasil)

Link para a matéria

COMMENTS