Com produção acelerada, gaúcha Randon refaz projeções

A Randon, fabricante de implementos para transporte de carga e autopeças, de Caxias do Sul (RS) produziu 11,7 mil implementos no primeiro semestre deste ano, aumento de 19,6% sobre igual período do ano passado e projeta fechar 2008 com 25 mil unidades

CMA CGM cria rota rodofluvial para escoar carga do Centro-Oeste
Carga tributária subiu para 37,58% do PIB em 2008, indica estudo da CNM
Transportadores rodoviários de Rondônia serão beneficiados com convênio entre Detran e ANTT

A Randon, fabricante de implementos para transporte de carga e autopeças, de Caxias do Sul (RS) produziu 11,7 mil implementos no primeiro semestre deste ano, aumento de 19,6% sobre igual período do ano passado e projeta fechar 2008 com 25 mil unidades. Se for confirmada esta previsão de 25 mil unidades, representará um acréscimo de 25% na produção física em relação ao total de 2007, de 20,5 mil unidades.

Em julho, o grupo revisou para cima vários indicadores do seu planejamento estratégico. A receita bruta, inicialmente prevista de R$ 4,0 bilhões, subiu para R$ 4,2 bilhões; as exportações passaram de US$ 250 milhões para US$ 270 milhões; as importações, de US$ 85 milhões para US$ 90 milhões. Já os investimentos foram mantidos na faixa de R$ 250 milhões. Somado aos R$ 800 milhões, anunciados em 2004, o grupo terá aplicado mais de R$ 1 bilhão nos últimos cinco anos.

Das 11,7 mil unidades faturadas nos seis primeiros meses, 80% ficaram no mercado interno; os restantes 20% foram exportados para diversas partes do mundo. No plano interno, o setor primário participou com 50%, voltando ao patamar histórico após dois anos abaixo em virtude da presença de estiagem na região Sul do país. A área manufatureira (com transporte de bens duráveis) respondeu por outros 20%, enquanto a área de serviços (construção pesada, na cola de investimentos do PAC, transporte de contêiner e serviços públicos urbanos) mais 30%.

O diretor corporativo e de relações com investidores, Astor Milton Schmitt é otimista por natureza, mas reconhece que vê o “recrudescimento da pressão inflacionária no segundo semestre”, notadamente vindo de setores como o de siderurgia, derivados petroquímicos e até de itens que importa, como pneus, rolamentos, chapas de aço, entre outros. “Lá foram eles também estão reajustando seus preços”, diz o empresário. Ele concorda com alguns analistas de que a economia deve ter movimento de aceleração menor em 2009, “mas nada assustador”, faz questão de ressaltar.
A Randon Implementos, de acordo com ele, está hoje com capacidade para 100 unidades/dia e vai chegar a dezembro com média de 120 equipamentos diários, em função dos investimentos em processos e melhoria da eficiência.

Novidade: vagões

A novidade neste semestre foi a montagem de 80 vagões tanques para a America Latina Logística – ALL, contra nenhum em igual período de 2007. “Estamos em fase de negociação de novos contratos com todas as operadoras”, revela Schmitt, sem, no entanto, fornecer detalhes.

Mesmo com aumento de insumos no decorrer dos primeiros seis meses do ano, Schmitt exibe uma margem bruta de 27,2%, ante 26,8% de igual intervalo ano passado.

“A mensagem que passa é de que estamos sabendo administrar bem estas variáveis; tentando neutralizar estes impactos com ganhos de eficiência e substituição por importados”, relata o executivo, destacando ainda o lucro líquido consolidado de R$ 121,5 milhões neste ano, diante de R$ 83,4 milhões em seis meses de 2007 (elevação de 45,8%). O grupo encerrou o primeiro de 2008 com receita líquida consolidada de R$ 1,45 bilhão, alta de 22,2% sobre o de 2007, de R$ 1,1 bilhão.

Link para a matéria

COMMENTS