Por onde andam os primeiros Volvo fabricados no Brasil?

Por onde andam os primeiros Volvo fabricados no Brasil?

Montadora quer encontrar as primeiras unidades feitas na fábrica de Curitiba, 40 anos atrás. Caminhões e ônibus Volvo ganharam o mercado brasileiro e, hoje, são líderes em vendas e referência em qualidade

Nova concessionária Iveco no Ceará
Volvo apresenta o caminhão mais rápido do mundo
União Europeia aprova novas regras para cabines de caminhões

São 40 anos de história. Em 1979, a Volvo iniciava sua jornada no Brasil, com a saída da linha de produção da então novíssima fábrica de caminhões e ônibus das primeiras unidades “made in Curitiba”. De lá para cá, a marca conquistou o mercado nacional e fez história.

Por onde andam?

E para celebrar esta história, parte das ações de comemorações dos 40 anos da Volvo no Brasil é a ação nas redes sociais para encontrar o caminhão modelo N10 e o ônibus B58 mais antigos e ainda trabalhando pelas ruas e estradas brasileiras.

“Queremos encontrar histórias de transportadores e motoristas que contaram e contam até hoje com os veículos Volvo para acelerar o progresso do Brasil”, afirma Daniel Homem de Mello, diretor de comunicação e marketing da Volvo.

A ação de busca começa esta semana e vai até o final de setembro. A Volvo vai receber fotos, vídeos, documentos ou qualquer outra evidência que possa comprovar a história dos veículos ainda em circulação. Tudo pode ser feito pelas páginas da marca no Facebook –www.facebook.com/volvocaminhoes, www.facebook.com/volvoonibus/ ou Instagram. – www.instagram.com/volvocaminhoes e www.instagram.com/volvoonibus/

A unidade 001 do N10 tem paradeiro bem conhecido: depois de anos em operação foi readquirida pela Volvo e hoje faz parte do acervo de caminhões históricos da marca. Já o chassi de ônibus 001 encontra-se num acervo privado.

Primeira família de pesados

O N10 chegou ao Brasil em 1980 e foi o primeiro caminhão trazido pela Volvo. Ele tinha motor de 10 litros que desenvolvia até 260 cavalos de potência. Um ano depois, chegou o N12, com motorização maior, de 12 litros e 330, para o transporte mais pesado e aplicações mais severas. Os cavalos mecânicos estavam disponíveis na versão 4×2 e havia a versão 6×2, de chassi rígido.

Com esses dois modelos a Volvo dava início à “Batalha dos Pesados”, campanha de opinião pública que mobilizou o setor de transportes para o uso de caminhões maiores, com mais eficiência e economia por tonelada transportada. Antes da chegada da Volvo predominavam nas estradas brasileiras caminhões leves e médios. Eram necessários muitos veículos e diversas viagens para transportar a mesma carga que um N10 passou a levar sozinho.

Até o fim de 1988 mais de 12 mil caminhões dos modelos N10 e N12 foram licenciados no Brasil. Além disso, milhares foram exportados para toda a América Latina, Oriente Médio e África. Em 1989 os já veteranos modelos deram lugar aos também bem-sucedidos NL10 e NL12.

A origem do BRT

O primeiríssimo veículo fabricado pela Volvo no Brasil foi um ônibus. O modelo B58 saiu ainda em 1979, ano de inauguração da fábrica. Tinha motor central posicionado entre-eixos, que privilegiava o espaço aos passageiros, que passaram a viajar pelas estradas com muito mais conforto e menos ruído. No segmento urbano essa configuração também permitia transportar mais passageiros num mesmo veículo. O motor entre-eixos permitiu ainda a introdução dos chassis articulados (1980) e biarticulados (1992), que trariam alta eficiência na mobilidade urbana em toda a América Latina, dando origem aos sistemas BRT (Bus Rapid Transit) que conhecemos hoje.

Agência Transporta Brasil (ATB)
agencia@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS