Para a ZF, futuro das transmissões é “automágico”

Para a ZF, futuro das transmissões é “automágico”

Os executivos da empresa preveem que a transmissão manual está com os dias contatos no segmento de veículos comerciais e deixará de existir nos próximos cinco ou dez anos

Metra aumenta capacidade em corredor paulista
ZF apresenta transmissão automática ZF PowerLine para veículos comerciais
Motor e câmbio revolucionam o Ford semipesado

A ZF aposta que as transmissões automáticas e automatizadas dominarão o mercado de veículos comerciais no Brasil em até dez anos. A inovação e as tendências para as tecnologias de mobilidade foram tema de um encontro realizado pela empresa com a imprensa especializada esta semana.

Automática para leves

O domínio das transmissões automatizadas nos caminhões pesados brasileiros mostra a importância das aplicações desse tipo de equipamento e a tendência começa a se voltar para os leves. Mercedes-Benz e Volkswagen já mostraram seus caminhões de 9 toneladas com câmbio automatizado.

Agora, a ZF se prepara para trazer ao Brasil a Poweline, nova caixa automática de oito marchas que está em desenvolvimento na Europa e que, segundo os executivos, tem previsão de lançamento em 2021.

Segundo a fabricante, o novo produto foi inspirado na transmissão automática para veículos de passeio 8HP, amplamente conhecida no mercado de automóveis global. “A chegada das transmissões automáticas aos segmentos mais leves dos veículos comerciais é uma tendência de utilização global, que a partir da ZF-Powerline chegará com mais força ao Brasil e à América Latina por meio da ZF“, afirma Silvio Furtado, Diretor de Vendas da ZF América do Sul. A ZF-Powerline pode ser aplicada em caminhões, picapes e ônibus urbanos e interurbanos com motorização de até 1.200 Nm. Em seu projeto, a Engenharia da ZF criou soluções que fazem a transmissão atender as demandas das severas operações urbanas, onde as marchas podem ser alteradas 30 vezes por quilômetro, explica.

Da 8HP, a ZF-PowerLine traz o conceito de conversor de torque e planetárias, passando pela mecatrônica e eletrônica com software de controle. “O produto também tem como legado o know-how de produção da transmissão para veículos leves”.

A aplicação da ZF-PowerLine em veículos comerciais surge em um momento essencial para o mercado atual, que demanda mais conforto, robustez, segurança, melhores custos operacionais e menor consumo de combustível. “No mercado sul-americano, as transmissões manuais ainda imperam no segmento que vai dos leves ao semipesados. No entanto, para aplicações essencialmente urbanas e consequentemente mais severas, em que o ‘anda e para’ constante exige muito mais dos veículos e motoristas, as transmissões automáticas com conversor de torque são as mais adequadas e recomendadas”, explica Furtado.

De acordo com Israel Valle, head de Negócios e Engenharia de Transmissões para veículos comerciais da ZF, diante destas novas tecnologias que estão sendo desenvolvidas e testadas para trazer um novo conceito de transmissão automática, o câmbio manual já é considerado passado. “Com esta tecnologia, a facilidade de instalação da peça se torna muito maior tanto para a montadora quanto para a manutenção do veículo. Iremos trazer nossa experiência de veículos de passeio para veículos comerciais”, acrescenta.

Versatilidade

A ZF-PowerLine poderá ser aplicada até mesmo em caminhões semipesados, com peso bruto total combinado (PBTC, que se refere ao caminhão com a carreta e a respectiva carga total) de 26 toneladas. A caixa, de acordo com a ZF, “conversa” com a rede eletrônica do veículo para permitir leituras telemáticas remotas.

Carolina Bozzi – Agência Transporta Brasil
agencia@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo dos transportes. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS