Nova geração Scania já chega ao pódio dos mais vendidos

Nova geração Scania já chega ao pódio dos mais vendidos

Modelo R450 desponta como o sucessor do caminhão campeão de vendas da marca, o R440, da geração antiga. Segundo a Fenabrave, o novo caminhão da Scania já é o segundo mais vendido em todo o mercado

VW amplia linha de semipesados
Suspensys WE/Castertech oferece conjunto de soluções em ´wheel end`
Um ícone nórdico valorizado no mercado

Com apenas nove meses de seu lançamento, os caminhões da nova geração da Scania já mostram seus resultados. Como previsto, o modelo R450 da nova geração vem apresentando um forte desempenho de vendas e já aparece no segundo lugar do ranking dos mais vendidos no acumulado de 2019, com 2.703 unidades vendidas nos sete primeiros meses do ano.

Desempenho acima da média

As novas tecnologias, o novo design, que traz mais espaço de cabine e visibilidade e a conectividade vêm sendo os atributos de vendas desses caminhões. De acordo com a Scania, o carro-chefe do modelo é a configuração 6×2, que tem apresentado grandes vendas para operações de cargas industriais, químicas e combustíveis.

A fabricante informa que, em algumas operações, o caminhão chegou a proporcionar uma economia de até 10% em combustível, além das vantagens operacionais da manutenção inteligente e conectada. Segundo

Wagner Tillman, gerente de Vendas de Caminhões da Scania no Brasil

, além dos clientes fiéis, o novo R450 tem atraído novos compradores. “O cliente automaticamente já identificou o caminhão R450 da nova geração como aquele que vai aumentar a disponibilidade, melhorar a produtividade e diminuir o consumo de combustíveis nas operações, principalmente trabalhando com carretas de dois eixos. Temos também novos clientes, que ainda não tinham caminhão da nossa marca, que agora compraram o R450. A proporção, por enquanto, é de 80% de clientes que já eram frotistas Scania contra 20% de novos clientes”, diz o executivo.

Muito conectados

O comprador da nova geração Scania está apostando na conectividade. Números da empresa mostram que, atualmente, 100% dos caminhões rodoviários já são vendidos com o sistema ativo e em uso. “É claro que a novidade é o caminhão, já que os serviços conectados já existiam dois anos antes do lançamento da nova geração, mas com esses serviços temos melhorado muito a forma de atender o cliente com nossos programas de manutenção. Hoje, a cada caminhão vendido, 90% já saem conectados e poucos clientes não estão conectando, pois têm operações mais confinadas. Mas, no rodoviário, 100% são conectados. Desses novos caminhões, mais da metade já sai com contratos de manutenção flexíveis”, diz Tillman.

Adesão forte

De acordo com a Scania, atualmente, cerca de 59% dos caminhões vendidos já saem com o pacote completo de conectividade e relatórios de dados, chamado de pacote desempenho. Na geração anterior, eram 35%. “A maturidade do mercado mudou. O cliente hoje tem muita consciência da importância de ter mais informações, para aumentar a vida útil do caminhão e maximizar a rentabilidade dele. Isso é fundamental para a sustentabilidade e a sobrevivência dos transportadores”, reflete.

Tendências de crédito

Tillman conta que o CDC tem sido uma modalidade de financiamento em crescimento no mix de vendas da Scania. “O CDC voltou a ser atrativo de dois anos para cá. Hoje, metade dos financiamentos do Banco Scania são via CDC. Além do equilíbrio de taxa, essa modalidade permite que o cliente faça a quitação do contrato com facilidade. O restante é consórcio e Finame”, explica.

No agronegócio são outros 500

Outro modelo da Scania que tem feito sucesso nas vendas, principalmente por causa da demanda por caminhões no agronegócio, é o R500. Ele tem sido muito utilizado no transporte de grãos, principalmente em composições de bitrem e bitrenzão, na configuração 6×4. “A safra foi colhida, mas ainda existe muita soja e muito milho nos armazéns para escoar. Por isso, a programação de compra de caminhões nessa configuração segue em alta este ano e o R500 tem sido uma opção natural para o cliente”, conta o gerente de vendas da Scania.

Primeiro semestre atípico

Em alta, o mercado de caminhões brasileiro já emplacou 57.867 unidades no acumulado do ano, contra 39.003 no acumulado de 2018, um crescimento de 43%. No mês de julho, 9.001 unidades, alta de 15% em relação a junho.

A segunda colocação da Scania, tanto no ranking dos mais vendidos em todas as categorias, quanto entre os caminhões pesados, mostra um desempenho surpreendente e acima da cura. Wagner Tillman lembra que o resultado veio mesmo com um primeiro semestre muito atípico para a empresa. “Na transição que encerrou o ciclo da PGR e iniciou o ciclo da NTG, a Scania ficou 30 dias sem produção. Só voltamos a participar do mercado em fevereiro. E vendo os números do primeiro semestre, competimos somente cinco meses, mas mesmo assim, obtivemos esses bons resultados. E tudo graças às pessoas da Scania, desde a administração, indústria, equipes de vendas e todos os envolvidos. Temos um produto avançado e um pacote de serviços justos que atendem às necessidades do cliente e estamos prontos para buscar posições ainda melhores nesse ranking”, complementa o executivo da Scania.

Leonardo Andrade – Agência Transporta Brasil (ATB)
leodoca@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS