Diesel aumenta 10 centavos nas refinarias

Diesel aumenta 10 centavos nas refinarias

Mercedes-Benz fecha semestre com mais da metade do mercado de ônibus
Volvo apresenta o caminhão mais rápido do mundo
Conceito 4.0 chega à Tora Transportes

O diesel aumentou R$ 0,10 nas refinarias nesta quinta-feira, segundo a Petrobras. Com o reajuste, o litro do combustível passou para R$ 2,2470 nas distribuidoras.

Segundo a Petrobras, o aumento representa uma variação de 4,5% a 5,1% no preço do diesel, combustível essencial para o transporte de cargas no País. O aumento anunciado ficou R$ 0,0192 abaixo do que havia sido planejado para a semana passada, quando o presidente da República ligou para a estatal pedindo para não reajustar o diesel.

Periodicidade dos reajustes

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou que a política de preços da empresa continuará seguindo o mercado internacional: “Nós continuamos a observar rigorosamente a manutenção de preços alinhados com a paridade internacional. Nossa política é essa e vai continuar assim”.

Sobre a periodicidade dos ajustes, ele disse que eles serão flexibilizados “para quando achar importante ter”. “Temos um intervalo de 24 dias do último reajuste. Não faremos reajustes diários, sou contra essa política”, afirmou. A última alta havia sido determinada em 22 de março.

O executivo afirmou que a Petrobras segue livre para determinar os preços dos combustíveis: “a palavra final é minha”, disse.

Fonte: Petrobras

Em nota divulgada ao mercado, a Petrobras lembrou que o preço estabelecido pela estatal representa, em média, 54% do preço do diesel nos postos de serviço. Segundo a empresa, o preço médio do diesel ao consumidor no Brasil é 13% menor do que a média global.

“O reajuste levou em consideração os mecanismos de proteção, através dos derivativos financeiros, e as variações de demais parcelas que compõem o Preço Paridade Internacional (PPI) com destaque para redução recente do frete marítimo. A Petrobras reafirma a rigorosa observância do alinhamento de seus preços com a paridade internacional”, diz a nota.

Com informações das agências e do G1

Redação Agência Transporta Brasil
redacao@transportabrasil.com.br

COMMENTS