Como calcular a Tabela de Frete?

Como calcular a Tabela de Frete?

Saiba como fazer o cálculo do seu frete com a nova tabela de fretes mínimos da ANTT. Passo a passo aqui, na Agência Transporta Brasil

Guaíba ou São Bernardo? Um dilema chinês
Caminhoneiros são unidos?
Governo “congela” diesel com medo de greve

Você recebeu a Tabela de Frete em seus grupos de WhatsApp ou baixou em links de sites como este, mas não sabe o que fazer com tanta informação? Então respire, se acalme e vem nessa com a Agência Transporta Brasil que nós vamos te ajudar.

Antes de começarmos com o passo-a-passo, vale lembrar: a Tabela de Frete é sempre publicada no site da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), sendo que a mais recente é desta quarta-feira, dia 24 de abril de 2019. As tabelas de referência deverão ser usadas a partir de agora no cálculo do seu frete.

As tabelas só valem para embarques de carga lotação, e não são válidas para carga fracionada.

Dito isso, vamos ao passo-a-passo:

PASSO 1: Primeiro, você tem que BAIXAR A TABELA e identificar qual tipo de carga que irá transportar.

Existem cinco categorias:
I – carga geral – aquela carga embarcada e transportada com acondicionamento, com marca de identificação e com contagem de unidades;
II – carga a granel – a carga líquida ou seca embarcada e transportada sem acondicionamento, sem marca de identificação e sem contagem de unidades;
III – carga frigorificada – a carga que necessita ser refrigerada ou congelada para conservar as qualidades essenciais do produto transportado;
IV – carga perigosa – a carga passível de provocar acidentes, ocasionar ou potencializar riscos, danificar cargas ou meios de transporte e gerar perigo às pessoas que a manipulem; e
V – carga neogranel – a carga formada por conglomerados homogêneos de mercadorias, de carga geral, sem acondicionamento específico e cujo volume ou quantidade possibilite o transporte em lotes, em um único embarque: exemplo – veículos.

PASSO 2: Sabendo qual dos cinco tipos, você precisa agora verificar qual é a distância da viagem e localizar a faixa na tabela. Quando não houver carga de retorno, para incluir o custo da volta, você tem que considerar a faixa do percurso em dobro.

PASSO 3: Anote o valor do custo do quilômetro por eixo na faixa de distância que você encontrou na tabela. Por exemplo, R$ 0,92.

PASSO 4: Multiplique este valor da tabela pelo número de eixos do seu caminhão ou combinação. Exemplo: se na tabela você tiver o valor de R$ 0,92 para uma Carga Geral em uma viagem de 1000 quilômetros e seu caminhão tiver três eixos, a conta é: R$ 0,92 x 3 = R$ 2,76.

PASSO 5: Multiplique esse valor pela quilometragem: R$ 2,76 x 1000. O frete mínimo para esta viagem tem que ser R$ 2.760,00.

Quem deve usar a tabela?

Todos os transportadores, autônomos, empresas e cooperativas. Ou seja, qualquer transportador que faça o transporte rodoviário remunerado de cargas.

O pedágio está incluso neste custo?

Não. O pedágio e os tributos, como Imposto de Renda, ICMS e INSS, NÃO estão inclusos nas tabelas de frete mínimo.

E quem oferecer frete abaixo da tabela mínima?

Segundo o parágrafo 4º do Art. 5º de Medida Provisória nº 832/2018, quem pagar frete abaixo da tabela mínima vai estar sujeito a indenizar o transportador em valor equivalente ao dobro do que seria devido, descontado o valor já pago.

Portanto fique de olho nos valores mínimos e exerça o seu direito a um frete justo. Aceitar frete abaixo do valor mínimo só colabora para deixar cada vez mais caminhoneiros endividados, sem condições de cobrir com seus custos, incluindo você. Então bora calcular o frete e BOA VIAGEM!

Agência Transporta Brasil
agencia@transportabrasil.com.br

COMMENTS