Quarta revolução industrial chega às cabines Mercedes

Quarta revolução industrial chega às cabines Mercedes

Já com dois turnos a todo vapor, fabricante de caminhões aposta nos conceitos da Indústria 4.0 em São Bernardo do Campo (SP)

Ford vai parar de fazer caminhões no Brasil
VWCO tem crescimento importante em pesados
Biarticulados Scania já estão em Curitiba

Dias após a vizinha Ford Caminhões anunciar que dará adeus ao Brasil, a Mercedes-Benz abre as portas de sua fábrica para mostrar a nova unidade de produção de cabine que recebeu os conceitos da indústria 4.0. A fabricante ainda anunciou que já trabalha com segundo turno.

A nova linha de produção de cabines recebeu investimentos de R$ 100 milhões, que integra o pacote de investimentos no Brasil na ordem de R$ 2,4 bilhões, entre o período de 2018 a 2022. Com produção baseada na Indústria 4.0 a Mercedes-Benz ganhou nessa fábrica 15% de produtividade, além de 20% de ganhos na eficiência logística.

Isso se traduz na produção mais rápida, com mais acertos, graças aos maquinários mais evoluídos. Para se ter ideia Além de tecnologias, processos e recursos avançados, a nova linha de cabines 4.0 vem desenvolvendo e testando, por exemplo, o uso de avançadas soluções inéditas na empresa como óculos de realidade aumentada, robô colaborativo e exoesqueleto.

Os chamados AGVs (Automatic Guided Vehicle ou Veículo Guiado Automaticamente) transportam de maneira autônoma, e por indução, as cabines dentro da fábrica durante todo o processo de montagem. São armazenados em um Data Lake e alimentam sistemas de inteligência artificial e Big Data. Utilizando recursos de Analytics, pode-se monitorar a qualidade de todos os produtos, detectar falhas e até fazer uma correlação com as informações de Vendas, flexibilizando o mix de produção.

“Há pouco menos de um ano, inauguramos nesta planta a nova Linha de Montagem de Caminhões, trazendo grande impacto para o setor de veículos comerciais no País, com a implantação pioneira e efetiva de conceitos da Indústria 4.0”, ressalta Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina.

Relação homem e máquina

O robô colaborativo trabalha em total sintonia com os operadores, aliviando esforços em atividades repetitivas, contribuindo para maior assertividade e qualidade, e na nova fábrica o primeiro robô colaborativo atua na montagem da chave geral do caminhão.

De braço duplo e mãos flexíveis, esse robô manuseia qualquer objeto, com alto nível de precisão. Há ainda o exoesqueleto, uma estrutura de suporte ao colaborador projetado para ajudar nas realizações de movimentos repetitivos, podendo diminuir esforços nos ombros, coluna, quadril e pernas. Não aumenta a força do colaborador, mas reduz a fadiga muscular e o risco de lesões.

 

Outros pioneirismos

O uso da realidade aumentada é uma iniciativa pioneira na Mercedes-Benz do Brasil e na Daimler Trucks. Com testes ao longo de 2018, a partir deste ano a fabricante está utilizando a tecnologia durante o início do processo de montagem inferior da cabine para manutenção preventiva. O óculos de realidade aumentada possibilita visualizar imagens com parâmetros e informações dos sensores de um determinado equipamento ou do processo produtivo. Com isso, o operador ou inspetor atua de forma rápida e com as mãos livres, tendo o suporte de áudio, vídeo e outros documentos que auxiliam o processo de manutenção, garantindo redução no tempo de atendimento e qualidade na execução da tarefa.

Contudo, Philipp Schiemer, deixa um recado claro, que o país também precisa se modernizar, trabalhar para a retomada da economia, com medidas urgentes e que atraiam investidores. “Nós da indústria, como a Mercedes-Benz, não vamos conseguir fazer isso sozinhos”, acrescentou o CEO.

Andrea Ramos
Editora-executiva da Agência Transporta Brasil
andrearamos@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS