Vendas de caminhões seguem em ritmo de crescimento

Vendas de caminhões seguem em ritmo de crescimento

Empresários mais confiantes com a economia, oferta de crédito e interesse em investir em frota própria impulsionaram novas aquisições no mês de janeiro

CNH Industrial investe em matrizes alternativas de energia
Indústria mais confiante
Grupo JCA faz promoção com passagens de ônibus pela metade do preço

O primeiro mês do ano fechou com saldo positivo para o setor de caminhões. Dados da Fenabrave, Federação dos Distribuidores de Veículos Automotores, mostram que em janeiro foram emplacadas 6.932 unidades, o que representa avanço de 50,93% sobre as 4.593 vendidas em igual período do ano passado.

Com os bons resultados do mês, a entidade permanece com a projeção de 15,4% de aumento no volume de emplacamentos para o acumulado de 2019.

“Como este é um tipo de produto atrelado ao desempenho do PIB, que deverá crescer de 2,3% a 2,5% neste ano, a expectativa é que a demanda por estes veículos se eleve também”, comenta Sérgio Zonta, vice-presidente da entidade. A grande expectativa está relacionada ao maior índice de confiança do frotista e, consequentemente, aumento da capacidade produtiva.

“Esses fatores contribuem significativamente para a retomada dos níveis de emprego no setor e contribuem para um bom cenário”, diz Zonta.

Outro motivo que vem impulsionando este setor é o interesse de frotistas por investir em frota própria.

Depois da greve dos caminhoneiros ocorrida em maio de 2018, houve o acréscimo na tabela de frete gerando mais custos às empresas que têm o costume de solicitar serviços a motoristas autônomos. “Estas transportadoras não querem depender do tabelamento e investir em novos veículos tornou-se uma saída.”

CDC mais atrativo

A redução do índice de inadimplência tem contribuído, também, para as vendas de caminhões porque gera mais acesso ao crédito.

De acordo com informações da Fenabrave, o índice era de 3,36% para pessoa física em novembro de 2018 e caiu para 3,34% no mês seguinte. Para pessoa jurídica passou de 1,17% para 1,13%. “Isso pode parecer pouco, mas representa R$ 34 milhões para pessoa física e R$ 16 milhões para pessoa jurídica. O índice vem caindo mês a mês desde o ano passado e a tendência é que reduza ainda mais”, diz Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave.

Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave

A venda por financiamento também tem sido estimulada pelo CDC (Crédito Direto ao Consumidor) devido à sua taxa de juros fixa mensal e que está mais baixa do que a do Finame. “Até alguns anos atrás 80% dos financiamentos eram feitos por Finame e, hoje, esse volume caiu muito”, comenta Assumpção. No mix destas duas linhas, CDC representa 50% e Finame 50%. “A tendência é que o CDC ultrapasse o Finame ainda este ano.”

Colaborou: Aline Feltrin
alinefeltrin@transportabrasil.com.br

Os modelos mais vendidos de janeiro de 2019

Clique aqui para ler a lista com os dois caminhões mais emplacados de cada categoria, segundo os dados da Fenabrave

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!

Agência Transporta Brasil – ATB
agencia@transportabrasil.com.br

COMMENTS