Randon: sete curiosidades em sete décadas

Randon: sete curiosidades em sete décadas

Todo mundo sabe que as empresas Randon são um case de sucesso no Brasil. Para comemorar seus 70 anos, listamos algumas curiosidades que você deve saber sobre esse conglomerado

Ônibus autônomo da Local Motors recebe pneus Goodyear
Mesmo idioma, novo sotaque para o Mercedes-Benz Vito
União Europeia aprova novas regras para cabines de caminhões

Em 1949 é inaugurada no sul do país uma pequena oficina de reforma de motores. O que não se podia imaginar é que dessa pequena oficina seria o começo de um dos maiores Grupos automotivos instalado no país.

As empresas Randon, integradas por fabricantes de implementos para o transporte de cargas, de autopeças e de serviços financeiros, com sede em Caxias do Sul (RS), chegam aos 70 anos na melhor forma: com 11 mil funcionários e com um faturamento que em 2017 ultrapassou a cifra dos R$ 4 bilhões.

História

O conglomerado iniciou em 1949 com uma pequena oficina mecânica voltada à reforma de motores industriais em Caxias do Sul, serra gaúcha. O negócio foi idealizado por Raul Anselmo Randon, que, aos 14 anos, foi trabalhar na ferraria de seu pai, onde permaneceu até os 18, quando, em 1948, passou a prestar o serviço militar obrigatório. No retorno do exército, associou-se ao irmão Hercílio Randon em sua pequena oficina de reforma de motores, quando aliaram conhecimentos técnicos e comerciais em uma bem-sucedida combinação.

Entre os exemplos de inovação que impulsionaram os negócios no decorrer dessas sete décadas estão a criação do freio a ar em 1954. Depois veio a decisão mais ousada da história da empresa com a abertura de capital da companhia, em 1971 e a busca de parceiros globais para formação de joint ventures entre os anos 80 e 90 na área de autopeças.

O conglomerado empresarial é formado pelas controladas diretas Fras-le S.A., Randon Argentina S.A., Randon Implementos para o Transporte Ltda., Randon Administradora de Consórcios, Master Sistemas Automotivos Ltda., JOST Brasil Sistemas Automotivos Ltda., Suspensys WE/Castertech, Randon Investimentos Ltda. (holding do Banco Randon S.A.) e Randon Perú S.A.C. A controladora também possui quatro filiais: Randon Veículos, Suspensys Sistemas Automotivos Ltda., Randon Chapecó e Randon Araraquara. Neste primeiro trimestre de 2019, iniciará atividade na base de distribuição no Espírito Santo.

Veja 7 curiosidades da Randon nesses 70 anos

1 – Primeiro produto fabricado

O primeiro implemento que a Randon produziu atendia o segmento “pesado” da época, um semirreboque carga seca de 10 metros, fabricado em 1958 e foi vendido para o cliente Dalla Valle, de 1 eixo com capacidade de 20 toneladas.

2 – O campeão de vendas

O produto de maior sucesso da marca é o graneleiro carga-seca. Até pela vocação do Brasil nas atividades agrícolas os dados são justificados. No final de 2018, a empresa já contabilizado mais de 170 mil unidade do modelo vendido.

3 – Os irmãos inventores

Depois de consertarem motores e máquinas na oficina do pai, Raul e Hercílio Randon – os fundadores das Empresas Randon – que juntaram a inventividade na engenharia e o tino comercial desenvolveram o freio a ar comprimido para caminhões, depois eixo e freio hidrovácuo. E em 1960 a produção em série dos primeiros semirreboques de um e dois eixos para cargas secas a partir de projetos de Hercílio Randon.
Foi a primeira a utilizar a tecnologia Ecoplate, em substituição à madeira nas laterais, com ganhos em tempo de fabricação/montagem, baixa manutenção e menos perdas de grãos.

4 – Rapidez na produção

A Randon tem no seu histórico, um recorde de produção, já com o primeiro semirreboque de dois eixos que foi montado em 45 dias (quatro anos depois a empresa já produzia um equipamento a cada dia).

5 – Muito além dos implementos

Raul Randon foi o maior produtor de maças da região. A Rasip (nome dado a empresa) ingressou no mercado da maçã, até então dominado pela fruta argentina, e alcançou posição de destaque. São 1.100 hectares de área plantada e cerca de 60.000 toneladas de maçãs comercializadas. Também no mercado externo foi pioneira. Exporta 20% da produção para países da Ásia e Europa, como Bangladesh, Índia, Rússia, Dinamarca, Alemanha e Holanda, além de Irlanda, Inglaterra, França, Oriente Médio, Arábia Saudita e Kuwait. A expectativa para 2019 é de aumentar a penetração em outros mercados, graças à perspectiva de frutas de qualidade superior, especialmente em relação ao calibre e ao brilho, graças ao inverno rigoroso.

6 – Toque de Midas do Sr. Raul Randon

Raul Randon também gostava de queijos e os produzia. E o soro produzido pelos queijos da marca é vendido para indústrias lácteas para a produção de iogurte e também para o setor médico, direcionado a pessoas idosas, como nutriente na alimentação.

7 – Em sintonia com os novos tempos

Na era das Startups, a empresa adotou um novo jeito de pensar. E um dos caminhos foi se juntar as startups. Em projeto conjunto com outras empresas da região e instituições de ensino, a Randon integra o Projeto Hélice que visa justamente incentivar e disseminar as novidades a partir de startups com benefícios para a serra gaúcha e não individualmente para cada empresa.

Andrea Ramos
Editora executiva. Exclusivo para a Agência Transporta Brasil
andrearamos@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!

Agência Transporta Brasil – ATB
agencia@transportabrasil.com.br

COMMENTS