Atualizações do caso Ford: como ficam os empregos e as concessionárias?

Atualizações do caso Ford: como ficam os empregos e as concessionárias?

Ainda sem data definida, sindicato confirma que encontro com dirigentes da Ford EUA vai acontecer. Associação dos concessionários de caminhões da Ford já se reuniu com diretores da montadora

Transmissão Allison é eleita na Australia
BYD marca 50 mil ônibus
MB versus VW já é tradição nos caminhões

O caso do fechamento da fábrica de caminhões da Ford em São Bernardo do Campo segue gerando consequências: ontem (21/02), o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC recebeu a confirmação de que seus dirigentes poderão se encontrar com a direção mundial da Ford, em Dearborn, Michigan, Estados Unidos, para discutir o futuro da fábrica de São Bernardo do campo.

A reunião foi solicitada pela direção do Sindicato, logo após ser surpreendida pelo anúmcio do fechamento da planta, terça-feira (19). A data do encontro ainda não foi confirmada.

“Desde que fomos surpreendidos pela decisão de fechamento, todos os nossos esforços têm sido realizados focando a reversão desse processo e a manutenção da fábrica, com seus 4,2 mil trabalhadores, mais quase 25 mil na cadeia produtiva. Vamos à matriz discutir com a direção mundial, conversamos com prefeito da cidade, teríamos conversado com o governador na manhã de hoje, se ele tivesse convidado a representação dos trabalhadores para participar, já que a pauta envolvia o futuro de milhares de metalúrgicos. Não vamos desistir de manter uma empresa com essa importância em nossa região”, destacou Santana.

A Ford anunciou o fechamento da montadora em São Bernardo e o fim da fabricação de caminhões na América Latina em comunicado aos representantes do Sindicato durante reunião com o presidente da Ford América do Sul, Lyle Watters. O encontro, solicitado pela entidade sindical, estava agendado desde o fim de janeiro, quando foi iniciado um processo de mobilização dos trabalhadores para cobrar investimentos na unidade.

Alternativas

João Doria, governador de São Paulo, se reuniu hoje com Lyle Watters, CEO da Ford na América do Sul e após o encontro o governador declarou que o governo paulista vai buscar um comprador para a fábrica a partir da semana que vem, com o objetivo de preservar os empregos. Dória ainda destacou que, o fechamento da fábrica não será de imediato, e sim ao longo de 2019.

Outra informação do governo do Estado é que a fábrica de motores da Ford em Taubaté não será afetada, portanto, 1.200 empregos serão mantidos.

Em São Bernardo a orientação do Sindicato é que os trabalhadores fiquem em casa até terça-feira (26). Desde então, a fábrica está parada. “Não tinha clima para ninguém voltar ao trabalho, até por uma questão de segurança. Estamos fazendo nossas articulações e avaliando de que forma se dará nossa mobilização e nossa resistência. Mas ela haverá e será dura”, reforçou o sindicalista.

Como fica a rede de concessionários?

A questão da rede de distribuidores de caminhões Ford está sendo debatida entre a montadora e a associação que representa os concessionários (Abrafor). Segundo comunicado da entidade, houve uma reunião entre o conselho da associação e diretores da Ford Caminhões para debater a indenização e o andamento de tudo, após o anúncio da desativação da fábrica do ABC Paulista.

No encontro, a Ford anunciou que dará suporte para que a rede continue oferecendo atendimento aos clientes, tanto em vendas de peças como em serviços. Os suportes de atendimento ao cliente P&S e Hotline serão mantidos.

Vendas de caminhões

Segundo a Abrafor, as vendas serão mantidas para os caminhões que estiverem no estoque da rede e a Ford vai implementar um bônus especial para o rápido escoamento dos estoques. Os faturamentos de caminhões para estoque da rede estão cancelados.

Os caminhões que estiverem no estoque da fábrica serão vendidos pela rede em modalidade de venda direta: os distribuidores que solicitarem faturamento para estoque poderão ser atendidos mediante análise prévia da montadora. O objetivo da ação é usar o estoque da fábrica para atender especialmente as vendas ao governo e casos já fechados.

Indenizações à rede

De acordo com o comunicado da Abrafor, a Lei Renato Ferrari será base para indenização de 100% da rede. A Lei 6.729/79, que rege as relações entre fabricantes e concessionários de veículos, estabeleces regras claras para as indenizações de redes em casos como este.

Seguimos acompanhando os desdobramentos do caso Ford Caminhões. Acompanhe aqui, na Agência Transporta Brasil (ATB).

Andrea Ramos e Leonardo Andrade
Agência Transporta Brasil
agencia@transportabrasil.com.br

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!
Agência Transporta Brasil – ATB

COMMENTS