Consórcio para caminhões deverá seguir em expansão neste ano

Consórcio para caminhões deverá seguir em expansão neste ano

CNH Industrial investe em matrizes alternativas de energia
Caminhão paixão! Todo mundo quer entrar no Kenworth T680
Volkswagen Caminhões e Ônibus fatura dois Prêmios Rei

As vendas de novas cotas de consórcio para veículos pesados neste ano deverá seguir a mesma curva de crescimento apresentada em 2018, segundo informações da Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio (ABAC).

Paulo Roberto Rossi, presidente da ABAC

Apesar de a associação ainda não ter divulgado o fechamento do ano passado – apenas o balanço referente aos 11 meses – em conversa com o presidente da entidade, Paulo Roberto Rossi, a agência Transporta Brasil apurou que a projeção é que o balanço final mostre alta de 20% de aumento na adesão em consórcio de veículos pesados no período de janeiro a dezembro deste ano.

Até novembro, ocorreram 64.850 novos contratos, alta de 23,9% sobre o volume de 52.350 registrado em igual período de 2017. Deste montante, a adesão de consórcio de caminhões representou um pouco mais de 60%. Já equipamentos e máquinas que atendem operação de agronegócio tiveram aproximadamente 40% desta fatia.

Perspectivas

“Para 2019 temos, a princípio, uma expectativa de um crescimento percentual no mínimo similar ao realizado no ano passado”, diz Rossi. Na visão do executivo, fatores como o aumento do índice de confiança do consumidor, além da esperança que ocorram as reformas da previdência e tributária proporcionam mais previsibilidade aos empresários que precisam investir em novos veículos.

O executivo disse ainda que com este novo cenário econômico que está sendo desenhado existe um potencial bastante expressivo para consórcio de caminhões. Não somente por causa da recuperação da economia, mas porque é um tipo de compra que exige planejamento e isso vai ao encontro de empresas que têm se organizado cada vez mais para investir em novos veículos.

“Este potencial enorme faz também com que as montadoras que possuem bancos próprios tenham mais interesse em participar desta modalidade de compra”, comenta o presidente da ABAC.

Para mostrar na prática como o consórcio de veículos pesados, principalmente caminhões, tem atraído o transportador e frotista, basta analisar o avanço em novas cotas nos últimos quatro anos: em 2014 foram registrados 49,3 mil novos contratos, 2015 esse número pulou para 54,8 mil, no ano seguinte manteve o patamar (51 mil) e em 2017 avançou para 57,15 mil.

Colaborou Aline Feltrin
alinefeltrin@transportabrasil.com.br

COMMENTS