Banco Mercedes-Benz cresce 49% em 2018

Banco Mercedes-Benz cresce 49% em 2018

Nova concessionária Iveco no Ceará
ZF apresenta transmissão automática ZF PowerLine para veículos comerciais
Financiamento de pesados novos tem alta de 37,7%

Segundo Christian Schüler, presidente e CEO do Banco Mercedes-Benz, em 2018, o banco faturou R$ 3,831 bilhões em novos negócios, o que significa um crescimento de 49% em relação ao ano de 2017, quando foram registrados R$ 2,575 bilhões. Destaque para o mês de dezembro, quando foram realizados R$ 409 milhões em novos negócios.

Contudo, o ano passado foi o segundo melhor desde 2014, quando a instituição financeira faturou 4,8 bilhões. Os bons números garantiram a consolidação da instituição como o maior financiador de veículos Mercedes-Benz do país em todos os seus segmentos de atuação.

Os veículos comerciais, mais uma vez, protagonizaram em favor dos bons números. Juntos, caminhões, ônibus e vans, responderam por 58% dos novos negócios realizados pelo Banco Mercedes no ano passado, o que, segundo Schüler, marcou o início da retomada do mercado de pesados. Nesse sentido, o Banco MB registrou um montante de R$ 2,585 bilhões em novos negócios ao longo de 2018, ante R$ 1,639 bilhão no acumulado de 2017. Já no segmento de automóveis o crescimento foi mais tímido, de 4%, passando de R$ 323 milhões em 2017, para R$ 336 milhões no ano passado.

“O ano de 2018 foi muito bom. E já tivemos indícios de que seria melhor durante a Fenatran de 2017, que ficou conhecida como a Fenatran da retomada. E a Mercedes-Benz liderou em todos os segmentos. O de veículos comerciais começou sua retomada, impulsionado pelo crescimento da atividade industrial e pelos fortes resultados do agronegócio, além da boa aceitação do Refrota no mercado no segmento de ônibus”, salienta Christian Schüler, presidente e CEO do Banco Mercedes-Benz.

Modalidades

O CDC foi a principal linha de crédito utilizada no período, totalizando R$ 2,409 bilhões em novos negócios, alta de 136% sobre 2017, quando a modalidade gerou R$ 1,021 bilhão. A justificativa é que as condições gerais do CDC são mais atrativas, uma delas é a menor burocracia.

Para se ter uma ideia, durante o ano de 2017 até os primeiros três meses de 2018, 80% dos financiamentos eram via Finame. Nos últimos meses de 2018 o CDC representou 70%. Em contrapartida, a modalidade BNDES Finame caiu 21% (de R$ 1,459 bilhão em 2017, para R$ 1,155 bilhão).

“Com a redução de taxas de mercado e as mudanças no BNDES Finame, o CDC ressurgiu como a modalidade de crédito mais atrativa para o cliente no segmento de veículos comerciais. Nossa equipe trabalhou continuamente para oferecer planos e condições competitivas, que atendessem às necessidades dos nossos clientes”, completa Schüler.

O que esperar de 2019

O cenário econômico favorável do país, o trabalho entre a fábrica e concessionários, além do leque de oferta de produtos trazem boas expectativas à instituição em 2019. Por tudo isso, a instituição prevê crescimento na ordem de 15%.

Ouça a íntegra da entrevista da Agência Transporta Brasil com Christian Schüler, presidente do Banco Mercedes-Benz, no player abaixo:

+ Saiba tudo do mundo do transporte rodoviário. Curta nossa página no Facebook!

Agência Transporta Brasil – ATB
agencia@transportabrasil.com.br

 

COMMENTS