Protege recebe VW Constellation 24.280 refrigerado

Protege recebe VW Constellation 24.280 refrigerado

Veículo é capaz de transportar produtos que requerem temperaturas controladas de até -20° C

Protege atenderá demanda de transporte de valores no Rio de Janeiro com VW Constellation customizado
Foton contrata Alcides Cavalcanti para direção de pós-venda e clientes estratégicos
Sesc leva caminhão-biblioteca à Criciúma (SC)

A empresa de transporte e logística de produtos e valores Protege recebeu o primeiro caminhão blindado com baú refrigerado fornecido pela MAN Latin America. Veículo customizado foi desenvolvido a partir do modelo VW Constellation 24.280.

O modelo, com capacidade para transportar até 14 toneladas de carga, tem configuração certificada pela Anvisa e Polícia Federal. É indicado para o transporte de produtos que requerem temperaturas controladas de até -20° C. A unidade é capaz de transportar uma equipe de quatro vigilantes, que conta com rastreamento via satélite e abertura de portas remota controlada pela central.

O caminhão foi projetado com baú revestido em placas de poliuretano, apropriado para o transporte de perecíveis, e acabamento em placas de fibra de vidro. O sistema de refrigeração conta com modo elétrico e em caso de problemas, é acionado automaticamente o motor diesel independente garantindo o controle de temperatura.

No painel do veículo foi instalado um sistema de aferição de temperatura e umidade, que transfere as informações para o cockpit, além de ser possível monitorar estes dados de forma remota pela central de inteligência da empresa.

“A demanda do segmento farmacêutico por transporte de insumos e medicamentos por caminhões blindados é crescente, principalmente para a logística de transporte entre a fábrica e o centro de distribuição”, afirma o diretor-geral do Grupo Protege, Mario Baptista de Oliveira. “Com o novo caminhão com baú refrigerado ampliamos ainda mais as possibilidades do serviço de carga segura, um segmento que está sendo muito bem recebido pelo mercado e que em seis anos de existência não registrou nenhum sinistro”, conclui.

COMMENTS