Indústria de implementos rodoviários retrai 18% em 2017

Foram apenas 30.712 unidades vendidas durante o período de janeiro a julho

Rossetti lança furgão de alumínio inédito no Brasil, totalmente colado
Implementos rodoviários registram aumento de 6,89% nas vendas de janeiro a agosto
Vendas de implementos rodoviários caem 7,7% no 1º semestre de 2014

A indústria de implementos rodoviários, nestes sete meses, amarga um resultado muito negativo. Entre janeiro e julho as vendas de carretas rebocadas e carrocerias sobre caminhões somaram 30.712 unidades, em baixa de quase 18% ante igual intervalo do ano passado.

Por outro lado, o setor está otimista em relação ao panorama futuro. “Gradualmente a economia está sendo retomada como mostra o desempenho do nosso setor”, explica Alcides Braga, presidente da Anfir, associação que reúne os fabricantes de implementos. “Em um momento como o atual faz falta a ação do BNDES dando suporte à indústria e desempenhando seu papel histórico de parceiro dos setores produtores”, comenta.

As vendas de reboques e semirreboques apresentaram queda menor, de 12,2% entre janeiro e julho de 2017 na comparação com o mesmo período de 2016, com o total de 12.912 unidades emplacadas.

No segmento de carroceria sobre chassis a retração no período foi bem maior, de 21,68%, 17.800 implementações de caminhões.

Nas exportações, o desempenho deste ano é positivo, com leve alta de 3,1% nos embarques de implementos (1.894 unidades) nos primeiros sete meses de 2017.

COMMENTS