Insegurança nas rodovias é a principal preocupação do caminhoneiro brasileiro

Insegurança nas rodovias é a principal preocupação do caminhoneiro brasileiro

Más condições das estradas e possibilidade de acidentes também preocupam, aponta estudo

Deputados definem frete mínimo para o transporte rodoviário
Ford Caminhões comemora atendimento de 50 mil motoristas em projeto de saúde bucal
Especial: O Brasil vai ser a sede da Libertadores dos motoristas de caminhão, o Scania Driver Competitions

Seis em cada dez caminhoneiros afirmam que a insegurança nas rodovias é o principal entrave colocado por essa ocupação. Informação faz parte da Pesquisa CNT Perfil dos Caminhoneiros 2016, realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

61,1% da movimentação de carga no Brasil é feita via transporte rodoviário, tornando esse modal ainda mais visado por quadrilhas.

Estudo do Sistema Firjan mostra que entre 2011 e 2016, o país contabilizou 97.786 roubos de carga. Somente em 2016, das 22,5 mil ocorrências, 19,7 mil estiveram concentradas nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

As más condições das rodovias brasileiras e o risco de acidentes também é algo mencionado com frequência pelos entrevistados na pesquisa. Somente 12,3% das estradas (equivalente a 211.463 quilômetros) brasileiras são pavimentadas, em meio a 1.720.756 quilômetros de malha rodoviária nacional. 58,2% das rodovias têm alguma deficiência na pavimentação, sinalização ou geometria, sendo classificadas como regulares, ruins ou péssimas.

A pesquisa também mostrou que a jornada média de um caminhoneiro no Brasil é 11,3 horas diárias, percorrendo cerca de 10 mil quilômetros em um mês. Além disso, revelou que esse profissional tem idade média de 44,3 anos, estando há 18 anos nessa profissão, conduzindo uma frota com cerca de 13,9 anos e tendo uma renda mensal média de R$ 3,9 mil.

COMMENTS