Acidentes de trânsito custam mais de R$ 240 milhões ao SUS

Acidentes de trânsito custam mais de R$ 240 milhões ao SUS

Ocorrências envolvendo motocicletas responderam por 54% do total de internações

Cai número de mortes e de acidentes no trânsito da cidade de São Paulo
Feriado de carnaval termina com menos acidentes nas rodovias federais
Acidentes diminuem 10% e mortes recuam 21,8% nas rodovias concedidas de São Paulo

sus-interna

As internações decorrentes de acidentes de trânsito custam ao Sistema Único de Saúde (SUS), mais de R$ 240 milhões por ano. Os dados se referem ao ano de 2014 e são os mais recentes do Ministério da Saúde.

Vítimas de ocorrências envolvendo motocicletas responderam por 54% do total de internações, o que demandou R$ 126,1 milhões.

“Isso está provocando mortes prematuras, incapacidade das pessoas em idade produtiva. É um grande impacto, porque, muitas vezes, as vítimas são arrimos de família, o que gera um problema social, além da sobrecarga nos sistemas de saúde. Nós temos uma verdadeira epidemia de mortes e de sequelas, com números assustadores”, diz o secretário-executivo da pasta, Antônio Nardi.

O presidente da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), Ailton Brasiliense, acredita que um dos agravantes desse cenário é a prioridade dada ao transporte individual em detrimento de outros modos, especialmente nas cidades. “Nós estamos jogando os usuários para procurarem outras formas de se deslocar. Eles foram para as motos, para os carros. Aumentou a poluição e os acidentes”, destaca.

De 2010 a 2015, a expansão da frota brasileira foi de 205%. Considerando somente motocicletas, foi um incremento de 502%. Para agravar o panorama, o transporte coletivo vem perdendo passageiros ano a ano. Somente em 2016, a redução na demanda chegou a 10% em comparação com 2015, conforme a NTU (Associação Nacional de Transportes Urbanos).

COMMENTS