Varejo de motocicletas amarga pior primeiro bimestre desde 2004

Por outro lado, no atacado, vendas crescem 2,4%, acumulando 11,4 mil unidades

Banco Mercedes-Benz registra alta de 34% no mês de janeiro
Banco Mercedes-Benz fecha outubro com 40% de crescimento
Gestão sustentável de frotas faz empresas reduzirem emissões de gases e gera economia de mais de 10%

producao-motos-honda

De acordo com a Abraciclo, entidade que reúne os fabricantes de motos instalados em Manaus (AM), a produção de motocicletas acumulou 67,3 mil unidades em fevereiro, o que significa um decréscimo de 17,5% em relação a janeiro, e retração de 5,4% considerando o segundo mês de 2016.

No primeiro bimestre de 2017 foram feitas 149 mil unidades, com leve alta de 1,3%. As vendas no atacado (das fábricas às concessionárias) somaram no acumulado do ano 135,1 mil motos, revelando pequeno acréscimo de 2,4% sobre o primeiro bimestre de 2016.

No setor de varejo, foram emplacadas 128,1 mil motocicletas, o que corresponde ao pior primeiro bimestre desde 2004. No entanto, as exportações do setor seguem em crescimento. As fabricantes enviaram 11,4 mil unidades em janeiro e fevereiro, registrando alta de 29,8% sobre o mesmo período de 2016.

A maior perspectiva de crescimento está baseada nas exportações, conforme a associação. As fábricas de Manaus esperam enviar este ano 93 mil unidades ao exterior, resultando em alta de 66% sobre 2016.  Por outro lado, a perspectiva de produção é de 910 mil motos, acumulando breve alta de 2,2%. Já as vendas no atacado devem somar 825 mil unidades, caindo 4,1%. Os emplacamentos poderão chegar a 890 mil emplacamentos, correspondendo a um acréscimo de 11,1%.

COMMENTS