Economia & Tributos

Setor de transportes desaquece e registra pior resultado desde 1996

Segmento, incluindo armazenagem e correios, amargou queda de 7,1% em 2016

13/3/2017

8h00

Victor José

Entre em contato

piores-resultados-transporte

Conforme dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no último dia 7/3, o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro caiu pelo segundo ano seguido em 2016 (-3,6%), e seguindo essa tendência, no mesmo período, o setor de transportes, incluindo armazenagem e correios, amargou queda de 7,1%, acarretando no pior desempenho desde 1996 e também o nicho com o resultado mais alarmante.

A área de transporte e logística foi fortemente afetada pelo desempenho dos demais setores da economia, que apresentaram resultados negativos no último ano. E com o desemprego a 11,9%, houve uma brusca redução no número de viagens diárias no percurso casa-trabalho-casa, além da redução da demanda por produtos, afetando o comércio (-6,3%) e a indústria (-3,8%).

A sequência de dois anos seguidos de baixa no PIB só foi verificada no Brasil nos anos de 1930 e 1931, quando os recuos foram de 2,1% e 3,3%, respectivamente.

“Não há dúvidas de que enfrentamos uma crise sem precedentes. A instabilidade econômica foi o principal fator para a redução da demanda por serviços de transporte, o que diminuiu as receitas das empresas e forçou a redução das atividades do setor”, comenta o presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), Clésio Andrade, esclarecendo que 2016 foi mais um ano de aumento no custo operacional e diminuição dos quadros de funcionários. “O poder público ainda precisa priorizar os fortes investimentos em infraestrutura de transporte, com a participação de destaque da iniciativa privada”, completa.

  • tv transporta brasil

    TVTRANSPORTABRASIL
  • Publicidade

  • Articulistas

    Brasil necessita de soluções e pensamento estratégico para alavancar setor de transporte logístico

    Edésio de Campos Horbylon Neto é diretor superintendente da 3T Systems, do Grupo José Alves. Graduado em Direito pela Faculdade Anhanguera de Ciências Humanas, possui especialização MBA em Estratégias de Gestão em Marketing pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. O executivo acumula passagem na Autotrac, Texaco do Brasil e Xerox do Brasil.

    Fraude no Controle de Emissões de Veículos Diesel cresce no País

    Artigo exclusivo do diretor da AFEEVAS, Associação dos Fabricantes de Equipamentos de Controle de Emissões de Poluentes da América do Sul, para o Portal Transporta Brasil, alerta para o problema da pirataria para driblar o uso do Arla 32

  • Publicidade

  • Publicidade

  • Bolsa de Valores – ADVFN

  • Redes Sociais

    Facebook