Justiça suspende novas regras da Anac sobre franquia de bagagens

Justiça suspende novas regras da Anac sobre franquia de bagagens

Em caráter liminar, está vetada cobrança de malas despachadas pelos passageiros

DHL aprimora rastreamento de cargas conforme resolução da TSA
Minas Gerais formaliza programa de recuperação da malha aeroportuária
Azul recebe três novas aeronaves

bagagens-17

As novas regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que já começariam a valer para quem comprasse passagens de avião a partir desta terça-feira (14/3) foram suspensas pela Justiça em decisão liminar. Dentre as normas está o fim da franquia de bagagem.

Hoje, o passageiro pode despachar sem quaisquer custos uma mala de até 23kg em voos nacionais e duas malas de até 32kg em internacionais. Porém, com as mudanças, cada companhia aérea definiria o valor da bagagem e os descontos para quem levar apenas mala de mão.

O objetivo, segundo a agência, é reduzir o preço das passagens. Atualmente, quem despacha bagagem e quem leva mala de mão paga o mesmo preço.

Algumas companhias aéreas que operam no Brasil já tinham se pronunciarado sobre o assunto: A Latam disse que ia cobrar R$50 por cada mala despachada em voo nacional, a Azul decidiu manter a franquia (até 23kg) e a Gol daria desconto para quem optar por levar apenas mala de mão, que agora poderá pesar até 10kg, no mínimo.

COMMENTS