Caminhões » Fique atento

Câmara analisa prazo de cinco anos para exigência de exame toxicológico de caminhoneiros

Caso proposta seja aprovada, vencimento será contado a partir de março de 2015, quando foi publicada lei que instituiu o procedimento

09/2/2017

11h11

Victor José

Entre em contato

exame-toxicologico-cinco-anos

Está sendo analisado na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 5151/16, do parlamentar Max Filho (PSDB-ES), que propõe prazo fixado de cinco anos para que o exame toxicológico de detecção mínima seja exigido de condutores de caminhões, ônibus e micro-ônibus.

Com isso, o prazo seria contado a partir de março de 2015, quando foi publicada a Lei 13.103/15, que instituiu o exame.

Hoje a lei exige o exame para a aquisição e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por esses motoristas. Os condutores dessas categorias cuja CNH tenha validade de cinco anos deverão fazer o exame a cada dois anos e seis meses, a contar da aquisição ou renovação da carteira. Já aqueles cujo documento tenha validade de três anos deverão realizar o procedimento a cada um ano e seis meses.

Segundo Max Filho, a definição desse prazo de cinco anos não foi aleatória. “A Lei 13.103 confere prazo de cinco anos para que o poder público adote medidas visando aumentar a disponibilidade de locais adequados para repouso e descanso dos motoristas profissionais de transporte rodoviário de passageiros e de cargas”, explica.

A proposta será analisada, em caráter conclusivo, pelas Comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

  • tv transporta brasil

    TVTRANSPORTABRASIL
  • Publicidade

  • Articulistas

    Brasil necessita de soluções e pensamento estratégico para alavancar setor de transporte logístico

    Edésio de Campos Horbylon Neto é diretor superintendente da 3T Systems, do Grupo José Alves. Graduado em Direito pela Faculdade Anhanguera de Ciências Humanas, possui especialização MBA em Estratégias de Gestão em Marketing pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. O executivo acumula passagem na Autotrac, Texaco do Brasil e Xerox do Brasil.

    Fraude no Controle de Emissões de Veículos Diesel cresce no País

    Artigo exclusivo do diretor da AFEEVAS, Associação dos Fabricantes de Equipamentos de Controle de Emissões de Poluentes da América do Sul, para o Portal Transporta Brasil, alerta para o problema da pirataria para driblar o uso do Arla 32

  • Publicidade

  • Publicidade

  • Bolsa de Valores – ADVFN

  • Redes Sociais

    Facebook