Auditoria da CGU aponta falhas em projeto de construção de ferrovia Transnordestina

Ferroeste instala detectores de descarrilamento em linha férrea
Estudo mede impactos da política tarifária de fretes no agronegócio
ANTT estuda construção de ferrovia em Mato Grosso do Sul

ferroeste-detector

Uma auditoria realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU) verificou que a obra de construção da ferrovia Transnordestina não conta com um projeto executivo. A informação foi dada pelo diretor de auditoria da área de infraestrutura da CGU, Wagner Rosa Silva, em audiência pública da comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha a construção da ferrovia.

+ Tegram (MA) receberá R$ 130 milhões em investimentos para expansão após primeiro ano de bons resultados

Wagner Rosa Silva apontou a fragilidade nos controles internos dos órgãos gestores como outro problema. Segundo ele, os relatórios de acompanhamento das obras possuem poucos detalhes técnicos e sem descrição da metodologia adotada. Outra dificuldade é a falta de técnicos para realizar as vistorias. Segundo o diretor, há casos de engenheiros que percorreram mais de 550 km em dois dias a fim de fiscalizar a construção de um trajeto.

Em relação à adequação financeira, Wagner Rosa informou que a Agência Nacional do Transporte Terrestre (ANTT) não realizou estudo de previsão de demanda e de receita de transporte, o que impossibilita avaliar se o valor financiado está adequado ao tamanho do empreendimento e à taxa de retorno do projeto.

+ Braspress implementa sistema de monitoramento em tempo real de todas as etapas do processo logístico

Na análise do diretor, é preciso integração nos trabalhos da ferrovia Transnordestina. “Que esses órgãos não atuem separado. Em um empreendimento desse tamanho, com vários atores envolvidos, é premente uma integração e uma visão do todo, se a gente ficar vendo partes, fica difícil”, pediu.

O Tribunal de Contas da União também aponta graves irregularidades, como o descumprimento dos cronogramas de obras e dos investimentos previstos nos contratos. Na próxima semana, a comissão vai realizar audiência pública para ouvir os secretários de infraestrutura dos estados do Piauí, Ceará e Pernambuco.

COMMENTS